Jornal do Commercio
Parlamentares

Após invasão, deputados do Paraná fazem sessão em restaurante

O grupo, que invadiu o plenário no final da tarde de terça (10), se queixa de um pacote de austeridade do governador Beto Richa

Publicado em 11/02/2015, às 17h59

Os manifestantes, que passaram a noite no plenário, dizem que só saem do local depois que o governo retirar o projeto de pauta / Foto: Joka Madruga/ APP Sindicato
Os manifestantes, que passaram a noite no plenário, dizem que só saem do local depois que o governo retirar o projeto de pauta
Foto: Joka Madruga/ APP Sindicato
Da Folhapress

Com o plenário da Assembleia Legislativa do Paraná invadido por servidores públicos, que protestam contra um pacote de corte de gastos do governo Beto Richa (PSDB), os deputados estaduais fizeram a sessão desta quarta-feira (11) no restaurante da Casa.

O local fica no prédio anexo ao do plenário, que está tomado por cerca de 800 manifestantes. Policiais do batalhão de choque guardavam a entrada. Pelo carro de som, sindicalistas acusavam os deputados de se reunirem "às escondidas, nos porões da Assembleia".

"Nós não poderíamos nos submeter ao regramento da ditadura, de fechar o parlamento. A Assembleia tem que funcionar", afirmou o deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), líder do governo.

Mesas foram afastadas para dar espaço à sessão. Uma das principais, com tampo em pedra, foi transformada em bancada da mesa diretora. Deputados sentaram em cadeiras e sofás dispostos ao longo da sala.

O pacote que quer aliviar o caixa do Estado, que inclui a mudança da previdência dos servidores públicos, a redução do anuênio e mudanças no plano de carreira dos professores, será votado apenas na sessão desta quinta (12).



INVASÃO

Os manifestantes, que passaram a noite no plenário, dizem que só saem do local depois que o governo retirar o projeto de pauta. Outras centenas de pessoas estão acampadas do lado de fora.

A presidência da Assembleia obteve uma ordem de reintegração de posse do prédio na manhã desta quarta, mas descartou o uso de força para retirar os servidores do local.

O grupo, que invadiu o plenário no final da tarde de terça (10), se queixa de um pacote de austeridade do governador Beto Richa.

Reeleito no ano passado, o tucano tem enfrentado uma crise financeira há pelo menos dois anos, que já forçou o Estado a suspender obras, atrasar pagamentos e parcelar salários de servidores.

Na última semana, Richa propôs um pacote de medidas para aliviar o caixa, apelidado de "pacotaço das maldades" pela oposição. A votação do projeto foi interrompida com a invasão do plenário, na terça.

O governo argumenta que as medidas são "duras, mas necessárias", e que precisam ser aprovadas para garantir o pagamento dos salários e retomar os investimentos. "O momento é dificílimo. O país atravessa uma crise", comenta Romanelli.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM