Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Em depoimento à PF, Joesley Batista reafirma envolvimento de Temer

Defesa do empresário garantiu que o dono da JBS apenas disse o que já se sabia em delação premiada

Publicado em 16/06/2017, às 18h08

Joesley Batista prestou depoimento à PF nesta sexta-feira (16) / Foto: Reprodução
Joesley Batista prestou depoimento à PF nesta sexta-feira (16)
Foto: Reprodução
JC Online

Um dos donos da empresa JBS, o empresário Joesley Batista, prestou depoimento à Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (16), no âmbito do inquérito que apura os crimes de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa por parte do presidente Michel Temer. Segundo a defesa do empresário, à polícia, Joesley apenas confirmou o que já havia dito em delação premiada. A versão do dono da JBS se opõe às informações apresentadas por Eduardo Cunha, em depoimento prestado na mesma ação nessa quarta-feira (14).

Conforme afirma a defesa de Joesley ao portal G1, o empresário "reforçou a verdade dita no depoimento por ocasião da colaboração, apenas a verdade dos fatos, ou seja, confirmou o que já foi dito e provado". Além do envolvimento do presidente o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), em sua delação, Joesley afirmou que Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao doleiro Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados.

No depoimento prestado nessa quarta, Eduardo Cunha disse que seu silêncio "nunca esteve à venda" e afirmou jamais ter fechado com Michel Temer qualquer tipo de negociação para se manter calado. O deputado recebeu 47 perguntas, mas se ateu a responder apenas as relacionados ao caso Temer.



No mesmo dia que Cunha, Lúcio Funaro, dolerio do PMDB, confirmou à PF, segundo O Globo, que Michel Temer tinha conhecimento dos pagamentos de caixa 2 feitos ao partido. Ex-presidente da legenda, Temer teria conhecimento de todo o esquema de pagamento ilícito para financiar campanhas, conforme teria revelado o doleiro ao fala à polícia no âmbito da Operação Patmos.

Denúncia

Todo o conteúdo dos depoimentos deverão ser usados pelo Ministério Público para apresentar a denúncia contra Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF). Rodrigo Janot deve atrasar a entrega do documento para a útima semana de junho. Para ser aceita no Supremo, a denúncia precisa antes ser aprovada na Câmara dos Deputados, que já anuncia a suspensão do recesso parlamentar para adiantar a votação.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM