Jornal do Commercio
LAVA JATO

Defesa de Lula apresentou a Moro recibos de aluguel com datas inexistentes

Recibos foram anexados para comprovar o aluguel do imóvel no nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia

Publicado em 26/09/2017, às 10h15

O ex-presidente Lula é acusado de ter sido beneficiado pela Odebrecht com imóvel e terreno em São Bernardo do Campo / Valter Campanato/Agência Brasil
O ex-presidente Lula é acusado de ter sido beneficiado pela Odebrecht com imóvel e terreno em São Bernardo do Campo
Valter Campanato/Agência Brasil
Lucas Moraes

Dos 26 recibos anexados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nessa segunda-feira (25), como comprovantes da locação do imóvel em São Bernardo do Campo, São Paulo, pela ex-primeira-dama Marisa Letícia, dois documentos estão com datas inexistentes no calendário. Os recibos foram apresentados ao juiz Sérgio Moro como refutação à hipótese de que o ex-presidente teria recebido o imóvel, além de um terreno na mesma região, como benefícios da Odebrecht após favorecimento em 8 contratos da Petrobras.

Dentre os recibos, nos quais os valores da locação variam de R$ 3.660 mil a R$ 4.300 mil, os referentes aos meses de junho de 2014 e novembro de 2015 estão com datas inexistentes. No de 2014, além de constar a data 31, inexistente naquele mês, há outro recibo que confere um pagamento de R$ 4.300 mil no dia 30 de junho, ou seja, dois pagamentos de alugueis referentes a um único mês.

No caso de novembro de 2015, o pagamento, também de R$ 4.300 mil, está datado no dia 31, data igualmente inexistente no mês. Todos os recibos são assinados por Glaucos da Costa Marques, réu, assim como o ex-presidente Lula, no processo, e têm como locatária a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu este ano.



Em depoimento, Moro já havia cobrado a entrega dos recibos, mas o petista respondeu, à época, não ter certeza sobre os documentos. "Deve ter recibo", disse.

Processo

Ao apresentar os recibos, os advogados de Lula escreveram na petição que "nenhuma prova" foi apresentada comprovando o recebimento por parte de Lula dos "benefícios diretos dos recursos desviados".

Embora já esteja na fase final, o processo que apura o repasse de R$ 13 milhões da Odebrecht a Lula por meio do imóvel e um terreno para a construção do Instituto Lula pode ser suspenso caso o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) acate o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM