Jornal do Commercio
PSDB

'Foi uma decisão pessoal', diz Goldman sobre saída de Bruno Araújo

A decisão de Araújo de sair do Ministério das Cidades pegou de surpresa os principais quadros do PSDB, entre eles Goldman e o ministro Aloysio Nunes

Publicado em 13/11/2017, às 20h44

"Foi uma decisão pessoal dele, até porque o PSDB não indicou nenhum ministro", disse Goldman sobre Bruno Araújo
Foto: George Gianni/ PSDB
Estadão Conteúdo

O presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, disse ao Estado/Broadcast que a decisão do tucano Bruno Araújo (PE) de deixar nesta segunda-feira (13), o Ministério das Cidades foi "pessoal".

"Foi uma decisão pessoal dele, até porque o PSDB não indicou nenhum ministro. O partido decidiu ajudar o governo nas reformas e medidas estruturantes que o País precisa. E vai continuar da mesma forma, seja com quatro ou nenhum ministro".

A decisão de Araújo pegou de surpresa os principais quadros do partido, entre eles Goldman e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, que está em Roma em viagem oficial. Segundo aliados, Nunes não planeja seguir o caminho de Araújo por ora, e deve permanecer no cargo pelo menos até abril, quando deve disputar a reeleição ao Senado.

Araújo era um dos quatro ministros do PSDB

Araújo era um dos quatro ministros tucanos no governo. Desde a votação da segunda denúncia, partidos do Centrão vinham pressionando Temer por uma reforma ministerial que lhes desse mais espaço no governo e excluísse os tucanos do alto escalão, em troca de aprovar projetos de interesse do governo como a reforma da Previdência. Pelo seu gordo orçamento, o Ministério das Cidades era um dos principais objetivos da base aliada.



Em entrevista à "GloboNews", Bruno Araújo disse que conversou "com diversos quadros do partido" antes de tomar uma decisão. "Não foi decisão partidária, mas um movimento meu sintonizado com a compreensão política que tenho do momento", disse Araújo.

O deputado e ex-ministro tomou a decisão em meio a uma crise no PSDB, após a destituição do então presidente interino da sigla, Tasso Jereissati, pelo senador Aécio Neves, presidente afastado do partido. Após sua saída, Araújo disse ao Estado/Broadcast que vai se dedicar para tentar ajudar o PSDB a resolver a crise interna. "Vou descansar alguns dias e depois mergulhar e me dedicar para trabalhar pela unidade do PSDB", disse.

Com a saída de Tasso, Goldman assumiu interinamente o comando do partido até a convenção nacional tucana, no dia 9 de dezembro, quando será escolhido o novo presidente do PSDB.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM