Jornal do Commercio
CÂMARA

'Reforma da Previdência estará na pauta da eleição, não adianta fugir', diz Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirma que trabalhará para aprovar a reforma da Previdência ainda neste ano

Publicado em 07/12/2017, às 12h07

Aliados se encontraram com o presidente Temer para tentar contabilizar os votos / Foto: Carolina Antunes/Presidência da República
Aliados se encontraram com o presidente Temer para tentar contabilizar os votos
Foto: Carolina Antunes/Presidência da República
Da Editoria de Política

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta quinta-feira (7) que, apesar de o governo ainda não ter os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência (PEC 287/16), ele vai continuar trabalhando para aprovar o texto ainda neste ano.

Na noite dessa quarta (6), líderes aliados voltaram a se encontrar com o presidente da República, Michel Temer, para tentar contabilizar os votos. Concluíram que ainda não há o suficiente para garantir a aprovação no Plenário. São necessários pelo menos 308 votos, em dois turnos de votação.

Para Rodrigo Maia, já há um convencimento de que, sem a reforma da Previdência, o impacto negativo no equilíbrio fiscal será enorme. “Esse tema é urgente, há um deficit crescente que vai comprometer o futuro das próximas gerações”, disse.



“Tenho esperança de que esse trabalho continue melhorando as expectativas e, em algum momento, vamos conseguir votar”, continuou. “Vou trabalhar para que seja ainda neste ano.”

Eleições 2018

Rodrigo Maia pretende discutir o tema o tempo que for necessário. Segundo ele, caso a votação não aconteça, o impacto pode ser tão ruim que vai prejudicar os aliados do governo nas eleições do próximo ano.

“O que todos precisamos entender é que esse assunto estará na pauta da eleição de qualquer jeito, não adianta fugir”, disse. “Se a reforma for aprovada, vamos chegar ao final do ano que vem com uma taxa de desemprego de 8%. Isso é um ganho enorme para o Brasil.”

As informações são da Agência Câmara



Comentários

Por PAULA CINTRA,07/12/2017

Os auditores fiscais, durante audiência pública, na Câmara, provaram que não há déficit na Previdência. Uma vez que a mesma é composta de outras fontes, quais sejam o PIS, CONFIS. Ela só beneficia aos empresários, sobretudo, aos grandes sonegadores que descontam a parte do trabalhador para a Previdência e não repassam para o governo, são desses que o desgoverno Temer deveria cobrar e não ao trabalhador, o ÚNICO QUE TÁ PAGANDO AQUELE PATO DA FIESP. Cadê os batedores de panelas riquinhos? Sumiram, pois quem precisa da Previdência são os assalariados. Se esses caras corruptos da Câmara votarem A FAVOR DESSE GOLPE, NÃO VOLTAM EM 2019. NÃO VOTEMOS NELES!

Por EDENIO DE ANDRADE,07/12/2017

TEMER ESTÁ VIRANDO O CORPO DE GETULIO VARGAS NO CAIXÃO, COM ESA ESTÓRIA DE DEFICIT DA PREVIDENCIA. POLITICO É APENAS UM ATRAVESSADOR ENTRE OS TRIBUTOS PRODUZIDOS E A DÍVIDA SOCIAL BRASILEIRA !

Por Silva,07/12/2017

Tudo conversa fiada, são corruptos, e ninguém acredita. Um governo, que só sabe criar reformas, precisamos é de emprego. Esse presidente corrupto, deveria trabalhar no INSS, não trata de outro assunto, só previdência.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM