Jornal do Commercio
Prisão

Após decisão de Moro, advogados voltam ao prédio do Instituto Lula

A defesa foi ao local para se encontrar com o petista

Publicado em 05/04/2018, às 18h43

Anteriormente, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins se reuniram com Lula por cerca de duas horas e falaram com a imprensa / Foto: Miguel Schincariol / AFP
Anteriormente, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins se reuniram com Lula por cerca de duas horas e falaram com a imprensa
Foto: Miguel Schincariol / AFP
Estadão Conteúdo

Após a decisão do juiz Sérgio Moro, dando a Lula o prazo para se entregar à Polícia Federal até amanhã (6), os advogados do ex-presidente retornaram ao prédio do Instituto Lula para se encontrar com o petista.

Anteriormente, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins se reuniram com Lula por cerca de duas horas e falaram com a imprensa, ainda sem informação do despacho de Moro. Após a entrevista, os dois saíram do prédio, mas retornaram minutos depois com a informação sobre a decisão do juiz.

Na entrevista, Zanin afirmou à imprensa que a defesa tinha instrumentos para suspender qualquer medida adotada com base na decisão do TRF-4, evitando medida de restrição de direitos do petista.

Na ocasião, os advogados afirmaram que não havia pressa, não havia nenhum risco de prisão e que um mandado não poderia ser expedido agora porque o processo ainda não havia terminado o trâmite em Porto Alegre. "Nós estamos trabalhando e definindo a estratégia que será colocada em prática nos próximos dias".



Ele classificou que uma prisão seria "arbitrária" antes do trânsito em julgado. Zanin reforçou que não estava considerando possibilidade de prisão quando perguntado se haveria acordo para Lula se entregar. Terminado o processo na segunda instância, Zanin citou possibilidade de recurso especial no STJ e recurso extraordinário no STF.

Lula deixa instituto em SP; destino é São Bernardo, segundo assessoria

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu às 18h33 da sede de seu instituto, em São Paulo. De acordo com assessoria de imprensa o destino seria São Bernardo do Campo.

Ele estava no local desde a manhã, e recebeu aliados políticos e advogados. Após a ordem do juiz Sérgio Moro, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) classificou a decisão como "escândalo" e "absurdo", citando que ainda havia prazo para a defesa entrar no TRF-4 com embargo dos embargos até a próxima terça-feira.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM