Jornal do Commercio
PRÉ-CANDIDATO

'Conheço as máfias que controlam o Congresso', diz Boulos

Pré-candidato do PSOL à Presidência da República, Boulos também criticou Lula por não ter feito reforma política e ter mantido ‘raposas’ no governo

Publicado em 16/05/2018, às 12h17

Boulos é defensor da candidatura de Lula / Foto: Ricarto Stuckert / Instituto Lula
Boulos é defensor da candidatura de Lula
Foto: Ricarto Stuckert / Instituto Lula
Da Editoria de Política
Com informações da Rádio Jornal

Em passagem por Pernambuco, o pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, alfinetou o ex-presidente Lula (PT) por não ter "enfrentado grandes privilégios". "Tenho respeito por Lula, tenho relação pessoal com ele, mas tenho diferenças também. Achamos que nos treze anos de governo do PT houve avanços sociais, mas não se enfrentou grandes privilégios, não se fez reforma tributária e agrária, não se mexeu na estrutura arcaica de propriedade", comentou Boulos durante debate na Rádio Jornal, na manhã desta quarta-feira (16).

Na avaliação de Guilherme Boulos, o "maior erro" de Lula foi não ter pautado uma reforma Política quando chegou ao governo, em 2003, e ter governado com as "raposas que sempre estiveram na estrutura do governo" desde do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). 

Ainda assim, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) defende a candidatura de Lula. "A Petrobras foi roubada por esse esquema político e defendo que corrupção tem que ser punida, mas tem que ter prova para punir alguém. Não há prova apresentada contra o Lula", ressaltou Guilherme Boulos.



GOVERNO DE COALIZÃO

Questionado sobre a dificuldade de governar o Brasil sem uma coalizão partidária, Boulos defende que é necessário mudar a política no País. "Conheço as máfias que controlam o Congresso e acho que temos que colocar o povo no debate, reinventar a democracia brasileira, não pode ser o povo ir lá apertar um botão e voltar depois de quatro anos, voto não é cheque em branco", disse.

O pré-candidato ainda afirma, que caso se eleja presidente, vai fazer um plebiscito para revogar as medidas do presidente Michel Temer, como a reforma trabalhista e o Teto dos Gastos Públicos. Em determinado momento, Boulos ainda comparou o Brasil à casa do programa Big Brother e disse que o povo não pode apenas votar e sim decidir o que "acontece na casa Brasil.


Palavras-chave


Comentários

Por ALSIR,16/05/2018

SIMPLES, INDEPENDENTE DE QUEM VÁ PARA O PODER, SE NÃO FIZER CORJA COM QUEM ESTA ALI, CAI.

Por Luciano,16/05/2018

Estão vendo até BOULOS, que se diz muito próximo do LULALADRÃO, é categórico em suas palavras que o ladrão sabia que tinha raposas em seus governo, e não tomou as providências devidas para afastar estas raposas. Com a palavra os PTRalhas.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM