Jornal do Commercio
porte de armas

Após Bolsonaro, Alckmin admite facilitar porte de armas se for eleito

A fala do tucano seu deu após ser questionado sobre as propostas de seu adversário Jair Bolsonaro (PSL) para aumentar a segurança no campo

Publicado em 17/05/2018, às 14h41

"Não estudei detalhes, mas vamos estudar. Não quero aqui entrar nessa miudeza eleitoral", disse, referindo-se a Bolsonaro
Foto: EBC
Agência Estado

Conhecido como defensor do estatuto do desarmamento, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, admitiu pela primeira vez na manhã desta quinta-feira (17) facilitar o porte de armas caso seja eleito, mas apenas em áreas rurais. A fala do tucano seu deu após ser questionado sobre as propostas de seu adversário Jair Bolsonaro (PSL) para aumentar a segurança no campo.

"É claro que pode ter porte de armas. Na área rural até deve ser facilitado", afirmou, ressaltando que, no campo, as pessoas estão muito distantes umas das outras e o isolamento as torna alvo. "Já existe. Não estudei detalhes, mas vamos estudar. Não quero aqui entrar nessa miudeza eleitoral", disse, referindo-se a Bolsonaro. Alckmin ainda citou que enquanto o parlamentar propõe dar fuzis aos fazendeiros ele prefere dar tratores.



Estudo

O estudo citado pelo presidenciável está sendo feito pelos integrantes de sua equipe que elaboram propostas para a área da segurança. O coordenador é Leandro Piquet Carneiro, que ainda não apresentou uma conclusão a respeito. A ideia inicial, no entanto, seria apenas regularizar quem tem porte ilegal de armas em zona rural, sem ampliar esse direito para as cidades.

Como proposta para aumentar a segurança no campo e combater as quadrilhas especializadas, o tucano citou ainda a importância de se aprimorar as investigações policiais. Essa pauta é hoje a principal demanda do setor do agronegócio no País, conforme informou o Estado no dia 6 de maio.


Palavras-chave


Comentários

Por Andrea,17/05/2018

Tem vergonha não "picolé de chuchu ? Imitar a ideia dos coleguinhas candidatos para crescer nas pesquisas kkkk



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM