Jornal do Commercio
LEGISLAÇÃO

Ministro das Cidades pede celeridade em projeto sobre distratos

Projeto cria novas regras para devolução de imóveis comprados na planta

Publicado em 12/06/2018, às 15h05

Para o ministro das Cidades, o projeto é essencial para garantir a recuperação do setor da construção civil. / Foto: Life-Of-Pix / Pixabay
Para o ministro das Cidades, o projeto é essencial para garantir a recuperação do setor da construção civil.
Foto: Life-Of-Pix / Pixabay
Estadão Conteúdo
Isadora Perón e Idiana Tomazelli

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, pediu nesta terça-feira, 12, "celeridade" ao presidente do Senado na aprovação do projeto que cria novas regras para a devolução de imóveis comprados na planta, o chamado "distrato". A proposta foi aprovada na semana passada na Câmara dos Deputados e ainda precisa passar pelo aval dos senadores antes de ir à sanção presidencial.

"Eunício foi muito atencioso, o Senado irá dialogar com os líderes, e tentar aprovar o projeto ainda neste semestre, antes do recesso parlamentar", disse Baldy após encontro com o presidente da Casa.

Para o ministro das Cidades, o projeto é essencial para garantir a recuperação do setor da construção civil. "O Brasil vive um momento de reconstrução econômica e, para a recuperação da indústria da construção civil, é fundamental o aspecto jurídico, da segurança dos contratos, entre aquele que executa a obra e aquele que é o comprador."



Benefício para construtoras

A proposta vem recebendo críticas, pois beneficia as construtoras. Pelo texto aprovado na Câmara, clientes que desistirem da compra de um imóvel negociado na planta terão de pagar até 50% do valor já dado à construtora como multa para se desfazer do negócio.

O valor só não será pago se o consumidor encontrar interessado que aceite a transferência de toda a dívida do imóvel.

Casos julgados na Justiça nos últimos anos previam retenção bem menor nesses casos: de 10% a 25% como multa.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM