Jornal do Commercio
Lula

PT lança ofensiva jurídica contra ministro Jungmann

Segundo o partido, o ministro interferiu na Polícia Federal para evitar o cumprimento do habeas corpos do ex-presidente Lula

Publicado em 11/07/2018, às 07h50

 afirmou que não interferiu no cumprimento do habeas corpus.  / Marcelo Camargo/Agência Brasil/
afirmou que não interferiu no cumprimento do habeas corpus.
Marcelo Camargo/Agência Brasil/
Estadão Conteúdo

O PT pretende iniciar uma ofensiva jurídica contra o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, por supostamente ter interferido na Polícia Federal para evitar o cumprimento do habeas corpus concedido ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo desembargador plantonista do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) Rogério Favreto - decisão posteriormente revogada pelo presidente da Corte, Carlos Eduardo Thompson Flores.

O partido vai usar o episódio como símbolo do que os petistas classificam de "perseguição do Judiciário e do juiz federal Sérgio Moro" contra o petista. A área jurídica, no entanto, ainda estuda qual o melhor caminho para acionar Jungmann.

A Coluna do Estadão revelou na segunda-feira, 9, que o ministro, ao qual a PF é subordinada, disse à deputada Maria do Rosário (PT-RS) que o presidente do TRF-4 pediu à corporação que aguardasse o despacho final do próprio Thompson Flores. Por esse motivo os agentes da PF que estavam de plantão não soltaram Lula quando Favreto deu a decisão, pela manhã.



"Se o Jungmann participou diretamente desse esquema, será responsabilizado", afirmou o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), um dos autores do habeas corpus.

O ministro negou as acusações do PT

Jungmann negou que isso tenha acontecido. Questionado na segunda se poderia haver algum tipo de responsabilização da PF por causa da demora em soltar o ex-presidente, disse que a PF "cumpriu estritamente a lei, num momento muito difícil, de conflito de competências, no Judiciário." Procurado nesta terça-feira, 10, ele não se manifestou.

Deputados e senadores petistas se alternaram nesta terça falando sobre o assunto nas tribunas do Congresso e cogitam se mobilizar para convocar ou convidar Jungmann para dar explicações na Câmara ou Senado. O partido também organiza atos de rua - o primeiro está marcado para o dia 18, em Curitiba. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por sabino,11/07/2018

Nao foi apenas o Moro. A PGR, o TRF4, o STJ, O STF, etc. Do outro lado, um palhaço, nomeado por uma terrorista, tentando livra um bandido do xilindró. Os talebans aparelharam o Judiciario, tentando transformar o pais numa Venezuela. Por pouco nao conseguiram. As FFAA estao deixando esses petralhas e seus satelites afundarem o Brasil. Até quando?

Por sabino,11/07/2018

Nao foi apenas o Moro. A PGR, o TRF4, o STJ, O STF, etc. Do outro lado, um palhaço, nomeado por uma terrorista, tentando livra um bandido do xilindró. Os talebans aparelharam o Judiciario, tentando transformar o pais numa Venezuela. Por pouco nao conseguiram. As FFAA estao deixando esses petralhas e seus satelites afundarem o Brasil. Até quando?

Por Marcos,11/07/2018

Esse tal de Raul Jungmann é ALMA SEBOSA !!!

Por Marcos,11/07/2018

Esse tal de Raul Jungmann é ALMA SEBOSA !!!

Por Zé Putista ,11/07/2018

Quem assina Alvará de Soltura é o Juiz da Vara competente e não Desembargador que julgou o HC.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM