Jornal do Commercio
EX-PRESIDENTE

Defesa de Lula prepara habeas corpus com base em nomeação de Moro

Segundo pessoas com acesso à defesa de Lula, os advogados vão alegar que a ida de Moro para ministério comprova a tese de que o juiz foi parcial

Publicado em 01/11/2018, às 20h08

O habeas corpus deve ser encaminhado aos tribunais superiores / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
O habeas corpus deve ser encaminhado aos tribunais superiores
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Estadão Conteúdo

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prepara um habeas corpus que tem como fundamentação o fato de o juiz federal Sérgio Moro ter aceitado o convite para assumir o Ministério da Justiça no governo Jair Bolsonaro.

Segundo pessoas com acesso à defesa de Lula, os advogados vão alegar que a ida de Moro para o ministério comprova a tese de que o juiz foi parcial e tinha motivações políticas para condenar o ex-presidente e tirá-lo da corrida presidencial. O HC deve ser encaminhado aos tribunais superiores.

Liberação de delação

Um dos argumentos será a declaração do vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, de que o convite a Moro foi feito ainda durante a campanha eleitoral e que o juiz liberou a delação do ex-ministro Antonio Palocci, cujo principal alvo é Lula, apenas seis dias antes do primeiro turno das eleições.

A liberação da delação de Palocci às vésperas da eleição é um dos pontos nos quais petistas e advogados de Lula vão explorar para reforçar a narrativa de que Moro tratou o ex-presidente com parcialidade.

"É uma indecência. Mostra claramente que ele (Moro) sempre misturou a atividade jurisdicional dele com a política", disse o deputado Wadih Damous (PT-RJ), que integra a defesa do ex-presidente.



Para ele, Moro deve se afastar imediatamente de todos os processos que envolvam Lula.

A ex-presidente Dilma Rousseff também explorou este fato em uma série de mensagens publicadas hoje em uma rede social. Segundo ela, a liberação da delação prejudicou sua candidatura ao Senado por Minas Gerais e a do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad.

Haddad, que tirou dois dias de folga com a família na Serra da Mantiqueira, se pronunciou por meio de uma rede social. Segundo ele, a elite brasileira não compreende o conceito de república e o significado da escolha de Moro ficará por conta da imprensa e entidades internacionais.

"Se o conceito de democracia já escapa a nossa elite, muito mais o conceito de república. O significado da indicação de Sérgio Moro para Ministro da Justiça só será compreendido pela mídia e fóruns internacionais", escreveu Haddad.

Segundo o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, ao aceitar o convite Moro confirma suspeitas de que conduziu o processo de Lula de forma parcial.

"Apenas confirma as suspeitas sobre a sua isenção, como Juiz, nos processos lawfare encetados contra Lula. Repito, não pelo fato de ter aceito tecnicamente as denúncias do Ministério Público, que seriam atos normais de jurisdição, mas pelas formas altamente politizadas e tecnicamente manipuladas com que conduziu os processos e pelas ilegalidades de forma e conteúdo que cometeu na condução dos mesmos", disse Tarso.


Palavras-chave


Comentários

Por Guimarães,02/11/2018

Eita! Descobriram que o juiz Moro condenou um inocente! A culpa toda é de Mariza, Palloci, Vaccari, Dirceu, Haddad, Gleisi...

Por SEVERINO ,02/11/2018

A QUADRILHA DE XIITA QUER APELAR PARA TUDO.

Por Camela,02/11/2018

É só pra encher linguiça, como diz o matuto. Esse povo não aprende mesmo. A D Gleisi não disse que chamaria o "pessoal" mulçumano para soltar Lula, se ele fosse preso, cadê que não chegou ninguém aqui. Manda o Boulos , que parece mui to "" macho "" soltar ele com o exército do MST. O MST tem CNPJ, pois, não. Então porque não se faz uma devassa nas contas desses criminosos pra ver de onde eles recebem grana e o que fazem com ela?

Por Helder,02/11/2018

Tirando o nordeste, o PT acabou para o resto do Brasil. Eles nunca vão entender isso. Vão sempre se considerar injustiçados. O partido que quebrou o Brasil não tem autocrítica e por isso caminha para o fim.

Por Monteiro,02/11/2018

Não adianta, porque ele é um preso politico.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM