Jornal do Commercio
PRESIDENTE DO SUPREMO

Em evento com magistrados negros, Toffoli defende cotas raciais

Para presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, o racismo no Brasil é estrutural e tais políticas são eficazes na promoção de igualdade

Publicado em 08/11/2018, às 21h22

O ministro participou nesta quinta-feira (8) do 2º Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros, em Brasília / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro participou nesta quinta-feira (8) do 2º Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros, em Brasília
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
ABr

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, defendeu nesta quinta-feira (8) ações afirmativas, como as cotas nas universidades com base em critérios étnico-raciais. Para ele, o racismo no Brasil é estrutural e tais políticas são eficazes na promoção de igualdade.

“Políticas afirmativas vão ao encontro da integração dos setores desfavorecidos, soerguendo em cidadania os indivíduos a quem é dirigida a discriminação racial sistêmica”, disse o ministro. “No racismo estrutural ou institucional, disseminado na sociedade brasileira, inexiste vontade livre e deliberada de discriminar, mas fazem-se presentes mecanismos e estratégias que dificultam a participação da pessoa negra no espaço de poder".



Censo 

As declarações foram dadas durante o 2ª Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros, em Brasília. Toffoli destacou números do último censo do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), feito este ano, segundo os quais apenas 1,6% dos magistrados brasileiros se declaram negros.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM