Jornal do Commercio
TRANSIÇÃO

Tereza Cristina diz não ver conflito de interesse por parceria de família com JBS

Indicada para o Ministério da Agricultura do governo Bolsonaro, disse não sentir 'desconforto' em ter seu nome citado em lista de doações ilegais da JBS

Publicado em 08/11/2018, às 11h41

Na entrevista, a parlamentar relatou que sua família tem uma propriedade em Terenos (MS) e que ela é inventariante / Foto: Wilson Dias/Agência Brasil/Agência Brasil
Na entrevista, a parlamentar relatou que sua família tem uma propriedade em Terenos (MS) e que ela é inventariante
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

Indicada para comandar o Ministério da Agricultura no governo de Jair Bolsonaro, a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) disse na manhã desta quinta-feira (8), não sentir desconforto em ter seu nome citado na lista de doações ilegais da JBS e nem diante de uma parceria comercial de sua família com o grupo empresarial no ramo de confinamento de gado. "Se o presidente me perguntar, estão lá os documentos", afirmou a deputada antes de entrar para reunião com o presidente eleito. 

Na entrevista, a parlamentar relatou que sua família tem uma propriedade em Terenos (MS) e que ela é inventariante e possui um quinto da propriedade. 

"A minha família arrendou (a terra) para um confinamento da JBS, que tem uma propriedade ao lado, isso há anos", disse ela, acrescentando que não vê conflito de interesse em assumir a pasta da Agricultura e manter negócios com a JBS. "Eu não tive doação direta da JBS, foi por via de dois parlamentares estaduais e eu era candidata a federal. As doações foram legais, tenho tranquilidade. Vou dar tratamento igual para todos. Precisamos de um país transparente." 



A uma pergunta sobre se estaria desconfortável com a situação, ela respondeu. "Não. Só se eu fizesse uma coisa escondida. Está tudo dentro da lei. Não vejo problema nisso aí."

Apoio

Na quarta (7), durante encontros de Bolsonaro com assessores, oficiais da reserva que dão auxílio ao presidente eleito falaram sobre as relações da deputada com o grupo JBS, de Joesley Batista, mas, como a própria deputada lembrou nesta quinta, a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e a Confederação Nacional da Agricultura deram apoio à sua indicação.


Recomendados para você


Comentários

Por aldir,09/11/2018

JARBAS LEITE, é tipico de quem não tem o que argumentar tentar denegrir a imagem e a opinião de outra pessoa, tentando de sobrepor na base do grito

Por flavio,08/11/2018

Waldir, vc já sabia. Não adianta chorar...

Por aldir,08/11/2018

HAHAHA e você pensou que seria diferente, né? kkkk

Por Cadê as "mudanças"?,08/11/2018

O Onix Lorenzoni já disse que teve caixa-dois na sua campanha (corrupção), e pediu desculpas; a Teresa Cristina está na lista de doações ilegais da JBS (corrupção)! Ambos do DEM, apoiador do Temer. Qual é mesmo a mudança na política que o presidente eleito "Bolso" está praticando? É essa a "mudança", a "nova política"? A cada dia aumenta o cordão dos arrependidos por terem sido enganados por um candidato sem propostas, sem discurso e a cada dia ratificando mentiras pronunciadas em campanha! Sem esquecer do "atentado", sem sangue, e com transferência de hospital, apesar da "gravidade", em pouco mais de 12 horas do fato. Eita brasileiro besta......sô!

Por JARBAS LEITE,08/11/2018

QUEM PONHE SEUS COMENTÁRIOS AQUI ESCONDIDOS APENAS COM UM VULGO, NEM DEVERIA SER PUBLICADO. POR ALGUMA RAZÃO TEM O RABO PRESO OU VERGONHA DE SER PETISTA, POIS TODOS ELES TIVERAM NO SEU CELEBRO UM VERME QUE COMEU TODAS AS CÉLULAS INTELIGENTES O NOME CIENTÍFICO DELE É PETISCOMICÓIDES E AS QUE SOBRARAM SÓ DAR PARA SER UM PETISTA.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM