Jornal do Commercio
STF

Toffoli afirma que auxílio-moradia é 'ônus' e reajuste, apenas recomposição

O Senado aprovou nessa quarta-feira (7) o reajuste de 16,38% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e dos membros da Procuradoria-Geral da República (PGR)

Publicado em 08/11/2018, às 11h39

Fala foi feita em reunião com presidentes dos Tribunais de Justiça dos Estados na manhã desta quinta (8) / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Fala foi feita em reunião com presidentes dos Tribunais de Justiça dos Estados na manhã desta quinta (8)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

Em reunião com presidentes dos Tribunais de Justiça dos Estados no Supremo Tribunal Federal na manhã desta quinta-feira (8) o presidente da Corte Suprema, ministro Dias Toffoli, disse que o pagamento do auxílio-moradia a membros do Judiciário "era um ônus que estava recaindo sobre toda a magistratura". Ele reafirmou que, com a aprovação do reajuste do Judiciário, STF poderá resolver essa questão.

"Com essa recomposição, nós poderemos, a partir de agora, enfrentar e resolver a questão do auxílio-moradia, porque era um ônus que estava recaindo sobre toda a magistratura e toda a instituição. Então nós poderemos agora tratar desse tema de uma maneira adequada", disse.

Ao abrir o encontro, o presidente do Supremo falou em "felicidade" ao citar a aprovação do projeto de lei do subsídio e foi aplaudido pelos chefes dos tribunais estaduais. O reajuste de 16,38% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e dos membros da Procuradoria-Geral da República (PGR) foi aprovado na quarta-feira (7) pelo plenário do Senado Federal

"Agradeço as senhoras e senhores que atuaram junto ao Congresso Nacional no sentido de deixar claro o quão justo e correto era essa revisão, uma vez que, na verdade, trata-se de uma recomposição de perdas inflacionárias de um período já bastante antigo, de 2009 a 2014." 

Considerado o teto do funcionalismo, a remuneração passará de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil mensais. Os dois projetos de lei que previam os aumentos já haviam sido aprovados na Câmara dos Deputados e agora seguem para a sanção presidencial.



"Eu tenho sempre referido que não se trata de aumento, muito pelo contrário, várias carreiras ao longo desse período tiveram as suas revisões e a magistratura é que se encontrava defasada em relação a essas revisões", disse Toffoli.

Na noite desta quarta-feira, antes de participar de evento no Superior Tribunal de Justiça (STJ), o presidente do Supremo informou que vai procurar o vice-presidente da Corte, ministro Luiz Fux, para ver a "melhor hora" de o tribunal decidir sobre o auxílio-moradia.

Entre as pautas da reunião do presidente do STF com os presidentes dos Tribunais de Justiça dos Estados nesta quinta-feira estão as metas para o Poder Judiciário em 2019, o tratamento adequado dos conflitos de interesse, tecnologia de informação e de comunicação do Judiciário, por exemplo. 

Penduricalhos

Em conversa com jornalistas ao final de um evento no Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), o ministro Gilmar Mendes afirmou que o auxílio-moradia é um adicional colocado no subsídio do Judiciário de forma não muito regular.

"É preciso que o salário seja adequado e justo, mas que não haja abuso e penduricalho e, sobretudo, que não haja iniciativas de fura teto para, de alguma forma, contornar o que está estabelecido. Precisamos realmente ter essa noção e é fundamental que a legislação seja cumprida", afirmou o ministro.



Comentários

Por BRAS WOODFACE,08/11/2018

O cinismo dos ministros do STF é revoltante. Se o Brasil está operando no vermelho, pedindo dinheiro emprestado para fechar as contas , como esses canalhas tem o despudor de querer justificar esse aumento ? É uma escárnio com o povo brasileiro . É muita canalhice apoiada por senadores corruptos querendo favores nos seus processos no STF e no Judiciário.

Por JOSÉ ,08/11/2018

É ISSO MESMO, TRABALHAMOS PARA SUSTENTAR ESSA CAMBADA DE SALAFRÁRIOS, SEM ESSA DE TIRAR O AUXILIO MORADIA, ELES CONSEGUIRAM FOI INCORPORAR ESSA ESCROTISSE DO AUXILIO MORADIA, ENQUANTO QUERO VER O AUMENTO DOS APOSENTADOS QUE DEVE SER UMA MIGALHA, NESSE PAÍS TRABALHA OS POBRES PARA OS RICOS SE DELEITAR DO NOSSO SUOR.

Por ZeValter,08/11/2018

O problema não é o aumento (descabido) para o STF que tem, somente, onze ministros. O problema está está no EFEITO CASCATA, que beneficia a todo o JUDICIÁRIO do Brasil, incluindo os famigerados "penduricalhos", gerando um custo adicional de 4 (quatro) BILHÕES DE REAIS POR ANO!!! Uma vergonha para um país que os petralhas deixaram na míséria e um judiciário que não "tá nem aí"!!

Por Paulo,08/11/2018

Cambada de escrotos, . Enquanto isso o reajusto dos aposenados ficará em míseros percentuais. Se tiver reajuste.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM