Jornal do Commercio
ENTREVISTA

''Fui a favor de Lula e agora escolhi por Bolsonaro'', diz advogado que criticou STF a Lewandowski

Em entrevista ao Jornal do Commercio, o advogado Cristiano Acioli lamentou ter sido ''coagido'' pelo ministro e falou sobre suas posições políticas

Publicado em 05/12/2018, às 07h00

Cristiano se define como militante dos direitos da sociedade e apaixonado pelo Brasil / Foto: Arquivo Pessoal/Cristiano Acioli
Cristiano se define como militante dos direitos da sociedade e apaixonado pelo Brasil
Foto: Arquivo Pessoal/Cristiano Acioli
Bianca Sousa

O advogado Cristiano Caiado de Acioli, 39 anos, era mais um passageiro num voo SP–Brasília. Mas o encontro casual com o ministro do STF Ricardo Lewandowski, no avião, lhe rendeu “fama” no País. Após dizer ao juiz que a Corte é “uma vergonha”, Cristiano teve voz de prisão e ficou detido por mais de sete horas na Polícia Federal. Em entrevista à repórter Bianca Sousa, o advogado falou sobre o acontecido e suas posições políticas.

Entrevista

JORNAL DO COMMERCIO – Quem é o Cristiano?
CRISTIANO CAIADO DE ACIOLI – Tenho 39 anos e sou advogado, militante dos direitos da sociedade e apaixonado pelo Brasil. Amo cada pedaço de terra desse País e ver isso aqui melhor, é maior que tudo.

JC – Sua família te influenciou a ter caráter crítico?
CRISTIANO– Meu pai, Adalberto Acioli, era arquiteto e sempre me dizia que a maior riqueza que ele poderia me passar é andar de cabeça erguida. Minha mãe, Helenita Caiado, subprocuradora da República, e já esteve à frente do Ministério Público Federal, sempre passou para nossa família este senso de justiça. Meu irmão, Bruno Caiado de Acioli, é Procurador da República do Distrito Federal e também pegou gosto pelos ensinamentos passados por nossos pais.



JC – Com este cunho político tão presente no meio familiar, você é militante de algum partido?
CRISTIANO – Já fui filiado ao PT, fui fiscal do partido e carreguei a bandeira em época de eleição. Fui à favor de Lula; votei em Dilma, e agora escolhi por Bolsonaro. Meu posicionamento é o Brasil, meu partido é o País. Sou a favor do certo, e mesmo tendo votado em Lula nas eleições anteriores, assinei uma representação contra ele na Operação Lava Jato, juntamente com um grupo de advogados, para que fosse negado o habeas corpus que a defesa pedia.

JC – Após o ato dessa terça-feira (4), do relato sobre a vergonha que você disse sentir do STF, e depois de passar mais de sete horas detido na Polícia Federal, qual seu sentimento em relação à democracia?
CRISTIANO – Nenhum cidadão, independente de ser advogado, faxineiro, seja o que for, ninguém poderia passar por isso. O que é a democracia se a gente não pode criticar? Sinto mais vergonha do STF depois de hoje, depois de ter sido coagido por alguém que deveria proteger meu direito de falar, pois este é o papel de um juiz de Suprema Corte, é defender as leis.

JC – Entre críticas e apoios, muitos destacam você como “corajoso”. Como você se define?
CRISTIANO – Eu tenho medo de tudo. Medo de sair e de não voltar, medo de falar e ser julgado. Mas se calar é pior. Não é sobre dar um discurso ditatorial, mas um discurso harmonizador para buscar o bem comum independente de qualquer coisa. O Brasil está acima de todos. Eu falei por mim, não por todos, mas o brasileiro tem tanta coisa que tem que ser preservada, principalmente a voz, por isso não me calei. Senti na pele o que seria uma ditadura. Não sou “amigo do Rei”; me senti impotente e indefeso, mas cumpri meu papel, o de exercer o bem mais precioso, a democracia.



OFERTAS

Especiais JC

Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.
Mãe Guerreira Mãe Guerreira
Junto com uma criança, nasce sempre uma mãe, que enfrenta inúmeros desafios para educar, acolher e dar o melhor aos filhos. Por isso, todas elas carregam em si a força e a coragem de verdadeiras guerreiras.
JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM