Jornal do Commercio
OPOSIÇÃO

Liderada por PT, oposição tenta formar bloco único na Câmara

Apesar dos esforços, integrantes do PT já sinalizaram que podem trair o movimento e apoiar Rodrigo Maia

Publicado em 22/01/2019, às 14h41

Mais conta com o apoio do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro / Foto: AFP / Agência Brasil
Mais conta com o apoio do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro
Foto: AFP / Agência Brasil
Estadão Conteúdo

Parlamentares do PT se reuniram na manhã desta terça-feira (22), com integrantes do PSOL e do PSB para discutir a formação de um bloco único de oposição na Câmara dos Deputados. A intenção dos três partidos é tentar ampliar o grupo com o PCdoB, PDT e Rede. A expectativa, no entanto, é que uma oficialização do bloco só ocorra na semana que vem.

Os comunistas e os pedetistas, no entanto, já sinalizaram que podem apoiar a reeleição do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele conta com o apoio do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. O movimento das duas siglas rachou o bloco que havia sido formado anteriormente entre as duas siglas e o PSB.

"Não há a menor chance do nosso partido se alinhar a Maia. Isso está descartado. Ele é o candidato de Bolsonaro e nós temos que honrar a nossa condição de oposicionistas", afirmou Carlos Siqueira, presidente do PSB, após a reunião. 

"Isso é fundamental para fazermos um enfrentamento firme do governo Bolsonaro que já está mostrando que não tem capacidade de sustentação pelo que está acontecendo em relação ao seu filho", afirmou a deputada eleita e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (RS), em referência às denúncias contra o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Formação 

PT, PSB e PSOL reúnem cerca de 98 deputados. Se o PCdoB, o PDT e a Rede se unirem ao bloco, ele poderá chegar a 135 parlamentares. Apesar dos esforços, integrantes do PT já sinalizaram que podem trair o movimento e apoiar Rodrigo Maia. A votação para a presidência da Câmara é secreta e será realizada 1º de fevereiro



Para o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), é preciso tentar unir ainda mais a oposição, que poderá atuar para barrar o avanço de pautas que sejam consideradas como retrocessos ou que avancem sobre questões econômicas rejeitadas pelos partidos de esquerda

Valente acredita que o desgaste político que o governo está enfrentando por causa das denúncias contra Flávio Bolsonaro podem ser um fator de união entre estes partidos.

O deputado eleito Marcelo Freixo (PSOL-RJ) já anunciou que disputará a presidência da Câmara. O deputado JHC (PSB-AL) também anunciou ser candidato no pleito. Dirigentes dos partidos, no entanto, afirmam que primeiro é preciso consolidar o bloco para depois definir as candidaturas, que poderão ser de vários partidos do bloco. 

"O nome escolhido é o que expressa mais essa unidade. Mas isso não é o mais importante agora. O mais importante é efetivamente garantir essa unidade do campo de esquerda. Nosso nome está apresentado para garantir essa unidade", afirmou Freixo. 

Para Carlos Siqueira, presidente do PSB, a unidade dos partidos de oposição será importante para tentar barrar pautas tidas como um retrocesso ou que retirem direitos. "Vemos que é um governo autoritário e precisamos unir todas as forças contra ele aqui na Câmara e na sociedade. Queremos evitar retrocessos nas pautas sociais e a presença de políticos ultraliberais que são desfavoráveis ao País e sua população", disse.

 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM