Jornal do Commercio
APOSENTADORIA

Congresso quer idades diferentes para homens e mulheres na Previdência, diz pesquisa

O levantamento foi realizado entre os dias 4 e 8 deste mês, com 235 deputados federais e 27 senadores, pelo Instituto FSB Pesquisa

Publicado em 11/02/2019, às 15h13

O apoio a novas regras foi maior entre os congressistas novatos / Foto: EBC
O apoio a novas regras foi maior entre os congressistas novatos
Foto: EBC
Da Editoria de Política

A fixação de idade mínima igual, de 65 anos, para a aposentadoria de homens e mulheres, defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, não é bem recebida pelos congressistas. É o que aponta pesquisa divulgada nesta segunda-feira (11) pelo banco BTG Pactual. O governo diz que a proposta não é definitiva e é apenas uma das que estão sendo estudadas.

A pesquisa mostrou que 72% dos congressistas aprovam a criação de uma idade mínima para a aposentadoria, mas a maioria (72%) dos parlamentares apoia idades diferentes para homens e mulheres. Em relação à idade de 65 anos para ambos os sexos, 61% dos entrevistados são contra. Apenas 20% apoiam a proposta, outros 7% não são a favor nem contra e 12% não sabem ou não responderam.

Se a proposta encaminhada pelo governo Bolsonaro mantiver as bases da proposta da gestão Michel Temer, que estabelece uma idade mínima de aposentadoria para homens, aos 65 anos, e outra para mulheres, aos 62 anos, ela terá o apoio de 38% dos entrevistados, segundo a pesquisa.



O levantamento foi realizado entre os dias 4 e 8 deste mês, com 235 deputados federais e 27 senadores, pelo Instituto FSB Pesquisa.

APOIO À REFORMA

Na Câmara, 82% dos entrevistados responderam ser favoráveis a que se reforme a Previdência, enquanto no Senado esse índice chegou a 89%. O apoio a novas regras foi maior entre os congressistas novatos, ou seja, que não ocupavam mandato até 31 de janeiro deste ano. Segundo a pesquisa, 86% deles aprovam a reforma, enquanto entre os reeleitos a aprovação foi de 78%.

Na pesquisa por partidos, o PT foi o que contou menos parlamentares favoráveis à proposta: 37%. Na outra ponta, o PP e o PSDB tiveram 100% de apoio à reforma. O índice é maior que o do PSL (92%), partido do presidente Bolsonaro.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM