Jornal do Commercio
Notícia
SUBMISSÃO

Mulher deve ser 'submissa' ao homem no casamento, diz Damares

''Dentro da doutrina cristã, lá dentro da igreja, nós entendemos que um casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento'', declarou a ministra

Publicado em 16/04/2019, às 18h32

Damares participou nesta terça-feira (16) de uma audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres na Câmara / Foto: Reprodução/ Twitter
Damares participou nesta terça-feira (16) de uma audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres na Câmara
Foto: Reprodução/ Twitter
JC Online
Com informações do G1

Durante audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres na Câmara nesta terça-feira (16), a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, declarou que dentro da sua "concepção cristã", no casamento, a mulher deve ser submissa ao homem.

Questionada pela deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) se a mulher teria que se submeter ao homem, Damares afirmou que, dentro da doutrina cristã, ele é o líder do casamento.

"Dentro da doutrina cristã, sim. Dentro da doutrina cristã, lá dentro da igreja, nós entendemos que um casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento. Então essa é uma percepção lá dentro da minha igreja, dentro da minha fé", disse.

Segundo a ministra, no entanto, isso não significa que todas as mulheres devem se submeter ao homem e "abaixar a cabeça para o patrão, para o agressor e para os homens que estão aí".



Aborto

Durante a audiência a ministra se mostrou novamente contrária ao aborto, mas disse que a sua posição não irá nortear as políticas do ministério. "Tenho tantas coisas para fazer naquele ministério que o tema aborto eu não vou fazer essa discussão. É discussão do Parlamento e agora do Judiciário", afirmou.

De acordo com a ministra, se não houvesse estupro, não haveria aborto. "Quero um Brasil sem estupro, porque se não tivermos estupro, não vamos ter mulher lá no serviço de saúde pedindo para fazer o aborto", declarou.

Armamento

Damares também foi questionada sobre um possível aumento nos feminicídios com a flexibilização do posse de armas. No entanto, a ministra não respondeu diretamente e disse preferir deixar suas "intenções pessoais sobre desarmamento para um segundo momento".

"O que nós podemos fazer é um debate bem técnico sobre o impacto disso na violência contra a mulher. Não dá para dizer ainda se impactou. É tudo uma expectativa do que pode aumentar. Mas o homem ainda mata com dentes, com mão, com pau. A violência contra a mulher se configura de diversas formas", disse a ministra durante a audiência.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM