Jornal do Commercio
Notícia
Votação

Texto da reforma da Previdência é aprovado na CCJ da Câmara

Proposta da reforma da Previdência segue agora para a comissão especial da Câmara

Publicado em 23/04/2019, às 23h47

Por 48 votos a favor e 18 contras, deputados aprovaram o texto da reforma / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Por 48 votos a favor e 18 contras, deputados aprovaram o texto da reforma
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Da Redação com Estadão Conteúdo
Atualizada à 0h16 do dia 24/4

Após quase 10 horas de sessão, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou a admissibilidade do relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que muda as regras previdenciárias do País. Foram 48 votos a favor, 18 contra, e nenhuma abstenção. Agora, o governo inicia uma nova fase: conseguir aprovar a proposta na comissão especial que vai julgar o mérito do texto.

Não será uma tarefa fácil, tendo em vista a falta de articulação com o Congresso Nacional. Minutos após a aprovação na CCJ, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou posição do governo.

A participação mais significativa do governo nesta primeira fase da tramitação da PEC foi a retirada de quatro pontos do projeto, que não tinham relação direta com o mérito da reforma e que, segundo a equipe econômica, não impactará na previsão de economia de R$ 1 trilhão em dez anos.

"O governo se omitiu. A reforma vai garantir empregos para os brasileiros. Quem é contra quer olhar para o passado, para 2012, quando tivemos a pior recessão da nossa história. Precisamos mudar isso. Por isso, é importante que o governo assuma esse papel, coloque ar no peito e diga: ‘a reforma é importante para o Brasil e para os brasileiros’”, criticou.

Maia é um dos principais articuladores e defensores da aprovação da reforma da Previdência e teve papel importante na negociação com lideranças partidárias para que a proposta fosse votada e aprovada nesta terça na CCJ.

Muita confusão

Ao longo do dia, deputados protagonizaram cenas de bate-boca, debateram inúmeras questões de ordem e votaram sete requerimentos. Na lista de questões de ordem, houve espaço até mesmo para queixas sobre erros de português no relatório.



Para completar, o painel eletrônico chegou a apagar durante a fase dos requerimentos, o que aumentou a morosidade das discussões, já que o processo teve de ser feito por votação nominal. As manobras chegaram a extrapolar o regimento, quando deputados de PT e PSOL resolveram cercar a mesa da presidência da CCJ com o objetivo de impedir a continuidade dos trabalhos.

A sessão começou às 15h07 desta terça-feira, com mais de 30 minutos de atraso. Por volta das 21h, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), foi informado de que o requerimento mais importante da oposição havia sido rejeitado. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da minoria, havia recorrido a Rodrigo Maia para que a votação fosse adiada por 20 dias. Mas a contagem de assinaturas não conferia com as apresentadas. Seriam necessárias 103 assinaturas, mas a assessoria técnica só validou 99.

Num sinal do clima de tensão, Francischini chegou a avisar que não aceitaria gritaria, o que ocorreu várias vezes durante a sessão.
"Não vou aceitar que fiquem gritando. Isso aqui não é feira. É só eu abrir o microfone e todo mundo começa a gritar. Isso é estratégia de vocês, se tivessem embasamento jurídico, não agiriam assim. Quem tem razão não berra, não urra", disse Francischini.

Ao longo da sessão, opositores ao projeto repetiram inúmeras vezes a cobrança para que os números que embasam a proposta e sustentam a economia de R$ 1 trilhão fossem apresentados aos parlamentares antes da votação. Francischini disse entender que é uma liberalidade da equipe econômica não enviar os números neste momento.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse que sua equipe começará a prestar informações sobre a proposta de reforma a partir desta quarta-feira (24). "A partir de amanhã (esta quarta-feira, dia 24), já vamos começar a responder pedidos de informação por parte dos deputados", comentou. "Sempre dissemos que dados desagregados seriam apresentados na comissão especial", afirmou.



OFERTAS

Especiais JC

Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.
Mãe Guerreira Mãe Guerreira
Junto com uma criança, nasce sempre uma mãe, que enfrenta inúmeros desafios para educar, acolher e dar o melhor aos filhos. Por isso, todas elas carregam em si a força e a coragem de verdadeiras guerreiras.
JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM