Jornal do Commercio
Notícia
Previdência

Segundo Joice Hasselmann, meta é aprovar reforma com espinha dorsal de R$ 1 trilhão, mas não é fácil

De acordo com a líder do governo, devido a crise fiscal enfrentada pelos Estados, até parlamentares da oposição devem votar a favor da reforma

Publicado em 30/04/2019, às 13h55

Deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso / Valter Campanato / Agência Brasil
Deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso
Valter Campanato / Agência Brasil
Estadão Conteúdo

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso, avaliou nesta terça-feira, 30, que a meta é aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma da Previdência com uma "espinha dorsal" de economia fiscal de R$ 1 trilhão, mas admitiu que "não é fácil". Segundo ela, mesmo com a retirada do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para idosos e da aposentadoria rural do texto que tramita na Câmara, a economia ainda fica perto de R$ 1 trilhão.

"Se não tiver economia próxima a R$ 1 trilhão, resolvemos os problemas do atual e do próximo governo, mas o problema vai ser jogado para frente", disse a deputada, durante debate sobre o assunto na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP).

De acordo com a líder do governo, a crise fiscal enfrentada pelos Estados trará pressão de governadores da oposição sobre parlamentares e até mesmo alguns do PT devem votar pela reforma da Previdência. "Mesmo na oposição, alguns governadores precisam da reforma. Tenho conversado com governadores do Nordeste e até mesmo dentro do PT vamos conseguir um votinho ou outro, pois o governador vai dizer (para parlamentar do PT) que, se não votar, o Estado vai quebrar", afirmou.



Leonardo Rolim

No mesmo evento, o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leonardo Rolim, cobrou prefeitos presentes que se mobilizem junto ao Congresso porque deputados estão querendo tirar Estados e municípios da PEC da Previdência. "Se isso ocorrer seriam necessárias reformas separadas e as situações seriam diferentes", alertou.

Cálculos mostrados por Marinho apontam que, se 2.100 municípios brasileiros forem incluídos na reforma da Previdência, a economia seria de R$ 171 bilhões em dez anos, de R$ 391,30 bilhões em 20 anos e traria R$ 833 bilhões de redução de despesas no total. "O impacto fiscal do município tende a ser maior que essa redução de despesas", concluiu.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM