Jornal do Commercio
Notícia
INVESTIGAÇÕES

Justiça autoriza quebra de sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e Queiroz

O pedido foi autorizado no dia 24 de abril e mantido em sigilo até o momento

Publicado em 13/05/2019, às 19h10

Queiroz era assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro  / Fotos: Tânia Rego/ Agência Brasil e Reprodução/SBT
Queiroz era assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro
Fotos: Tânia Rego/ Agência Brasil e Reprodução/SBT
JC Online
Com informações do jornal O Globo

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou, no dia 24 de abril de 2019, a quebra de sigilo bancário do senador Flávio Bolsonaro e do ex-assessor Fabrício Queiroz. O pedido, que havia sido mantido em sigilo até o momento, foi feito pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e aceito pelo juiz Flávio Nicolau.

Além da quebra de sigilo do parlamentar e de Queiroz, a esposa de Flávio, Fernanda Bolsonaro, a empresa Bolsotini Chocolates Café Ltda, as duas filhas do ex-assessor, Nathalia e Evelyn, e a esposa de Queiroz, Marcia, também terão as suas contas bancárias averiguadas.

A Justiça autorizou a averiguação das contas no período que vai de janeiro de 2007 a dezembro de 2018. Também foi autorizada a quebra do sigilo fiscal dos investigados, entre 2008 e 2018.



Ex-funcionários

Foi autorizada também a quebra do sigilo bancário de 88 ex-funcionários do gabinete, seus familiares e empresas relacionadas a eles. Entre eles também estão a irmã e mãe do ex-policial Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como homem-forte do Escritório do Crime - organização de milicianos suspeita de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes -.

Além de três empresários de origem americana: Glenn Howard Dillard, Paul Daniel Maitino e Charles Anthony Eldering. Os empresários são donos de duas empresas ligadas ao ramo imobiliário, a Linear Enterprises, e a Realest, ambas localizadas no Rio de Janeiro. Também tiveram a quebra do sigilo a MCA Participações e seus sócios.

O juiz Flávio Nicolau pediu que as declarações de operações imobiliárias dos investigados também sejam enviadas ao MP do Rio e que a investigação corra em segredo de justiça.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM