Jornal do Commercio
Notícia
DELAÇÃO

Delação de Palocci confirma repasses ao filho de Lula

Documento obtido pela Veja comprova repasses, mas não detalha valores

Publicado em 14/08/2019, às 15h50

As doações eram feitas  em sua maioria, por Palocci em sintonia com João Vaccari, ex-tesoureiro do PT / Foto: Arquivo/ Agência Brasil
As doações eram feitas em sua maioria, por Palocci em sintonia com João Vaccari, ex-tesoureiro do PT
Foto: Arquivo/ Agência Brasil
JC Online
Com informações da Revista Veja

A delação do ex-ministro Antonio Palocci confirmou o repasse de recursos pela empresa Qualicorp ao Partido dos Trabalhadores (PT), ao Instituto Lula e a Touchdown, de Luis Cláudio Lula da Silva, 30 anos, filho caçula do ex-presidente Lula. Um documento obtido pelo Blog Radar, da Veja, confirma os repasses.

Segundo Palocci, conforme consta no anexo 22 da delação homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), os pagamentos teriam sido feitos em troca de “benefícios concedidos pelo governo” à empresa na Agência Nacional de Saúde Suplementar. Os valores não foram descritos. 

A delação do ex-ministro foi fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava Jato no STF. Esta é a primeira vez que um documento do Supremo dá sustentação à principal frente da delação de Palocci.  

Ainda de acordo com a Veja, a partir do documento obtido, é possível conferir que o acordo firmado por Antonio Palocci no Supremo tem 23 anexos e tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares, ex-parlamentares e grandes empresas. 



Resposta

A Qualicorp se manifestou por meio de nota enviada ao Blog Radar, afirmando que seus contratos são auditados por empresas renomadas e que não comentará supostas acusações. “A Qualicorp é uma companhia de capital aberto, com milhares de acionistas nacionais e internacionais, e todos os seus contratos são auditados por empresas renomadas. Sua atividade é exclusivamente privada e depende da contratação voluntária de cada cliente de plano de saúde. A empresa nunca pleiteou ou obteve qualquer tipo de benefício público e jamais transgrediu a lei. A companhia não comentará supostas acusações do ex-ministro, que foram rejeitadas pelo Ministério Público Federal por ausência de base fática.”, reproduziu o blog. 

Tentativa de contato com o filho de Lula

A empresa de marketing esportivo Touchdwon passou a ser investigada em 2017, com as delações da Odebrecht na Lava Jato. Em março deste ano, a Polícia Federal indiciou Lula e o filho Luís Claudio pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência por pagamentos para a Touchdown, que teria recebido mais de R$ 10 milhões de reais de patrocinadores.

Palocci diz que PT recebeu R$ 270,5 milhões em propina

O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci contou, durante delação feita à Justiça, que o PT recebeu 270,5 milhões de reais em propina entre 2002 e 2014 para as campanhas eleitorais. Segundo Palocci, parte das doações foram declaradas e outras não.

As doações foram feitas por grandes grupos e empresas em troca de favores. As negociações eram feitas, em sua maioria, pelo ex-ministro em sintonia com João Vaccari, ex-tesoureiro do PT.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM