Jornal do Commercio
Notícia
Fundeb

Weintraub: MEC quer ampliar para até 15% participação da União no Fundeb

O ministro da Educação se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir sobre o Fundeb

Publicado em 19/09/2019, às 16h27

Weintraub já havia, desde o último dia 10, apresentado a proposta favorável à renovação do Fundeb a parlamentares / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Weintraub já havia, desde o último dia 10, apresentado a proposta favorável à renovação do Fundeb a parlamentares
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

Após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reafirmou que o MEC mantém a proposta de aumentar a participação da União dos atuais 10% para 15% no Fundeb. A minuta do relatório da PEC 15, apresentada na quarta-feira (18) pela relatora, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), prevê aumento da complementação da União no fundo para até 40% até 2031. Pelas contas da equipe econômica, o relatório terá impacto de R$ 855 bilhões em dez anos, praticamente anulando o esforço da Reforma da Previdência.

Renovação do Fundeb

No dia 10 de junho, Weintraub e o secretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, já haviam apresentado proposta a parlamentares favorável à renovação do Fundeb para além de 2020, inclusive com o aumento gradual da participação da União de 10% para 15%.

Nesta quinta-feira (19), ao deixar a reunião com Guedes, Weintraub disse que o ministério mantém a proposta de aumento gradual da fatia da União até 15%, desde que os recursos venham dos fundos constitucionais. O ministro não respondeu se irá procurar a relatora da PEC 15 para tratar do tema.

Pela legislação atual, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) deve ser extinto em dezembro de 2020, mas a PEC busca torná-lo permanente.



Pelas contas da equipe econômica, porém, apenas a manutenção do Fundeb nos moldes atuais significaria um gasto adicional de quase R$ 250 bilhões na próxima década. Mas o relatório também deve prever a elevação gradual da participação da União dos atuais 10% do fundo para 15% num primeiro momento, podendo chegar a 30% ou 40%.

Além disso, os parlamentares também pretendem destinar uma parte importante dos royalties da exploração do petróleo ao fundo e aumentar a base do que o Fundeb recebe do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

No pior cenário para as contas federais, os cálculos da área técnica da Economia apontam para um aumento adicional nas despesas com o fundo de mais de R$ 600 bilhões entre 2021 e 2031.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM