Jornal do Commercio
Notícia
PETISTA

'Decisão do STF deu a Lula esperança de que possa haver justiça', diz advogado

Defesa do ex-presidente realizou um pedido de soltura imediata nesta sexta-feira (8)

Publicado em 08/11/2019, às 12h53

Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde abril 2018 / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde abril 2018
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
JC Online

Após realizar um pedido de soltura imediata do ex-presidente Lula (PT) na manhã desta sexta-feira (8), um dos seus advogados de defesa, Cristiano Zanin Martins, afirmou em entrevista coletiva em frente à sede da PF em Curitiba, onde o líder petista está preso, que Lula está 'muito sereno, e que a decisão deu a ele uma luz de esperança de que possa haver justiça em seu caso'. O pedido de liberdade de Lula acontece após o Supremo Tribunal Federal (STF) considerar, por seis votos a cinco, a prisão após condenação em segunda instância inconstitucional na noite dessa quinta-feira (7).

Os advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins, já haviam anunciado na quinta que ingressariam com o pedido. "Levaremos ao juízo da execução um pedido para que haja sua imediata soltura com base no resultado desse julgamento do STF, além de reiterarmos o pedido para que a Suprema Corte julgue os habeas corpus que objetivam a declaração da nulidade de todo o processo que o levou à prisão em virtude da suspeição do ex-juiz Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato, dentre inúmeras outras ilegalidades", disseram, em nota, os advogados na noite da quinta.

Ato no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

A expectativa dos aliados do ex-presidente é que ele deixe a carceragem da PF, onde está preso desde 7 de abril de 2018, ainda nesta sexta-feira e, depois de "fazer um grande pronunciamento", vá de jatinho para um ato político no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo. Caso a soltura seja anunciada, os senadores e deputados do partido, além dos militantes acampados em frente à sede da PF, devem se dirigir a Curitiba, com o intuito de recepcioná-lo na saída da carceragem.



"A ideia é Lula voltar para o lugar de onde ele não deveria ter sido levado pela Polícia Federal", afirmou o deputado estadual paulista José Américo. Dada a polarização política e o atentado contra o presidente Jair Bolsonaro, na campanha eleitoral do último ano, há a preocupação de que Lula seja alvo em algum ato de violência.

Mesmo que Lula receba autorização da juíza Carolina Lebbos, da Vara de Execução Penal de Curitiba, para sair da cadeia, ele não poderá concorrer a qualquer tipo de cargo público por conta da Lei da Ficha Limpa. Por outro lado, o petista não será impedido de viajar pelo País nem de participar de atos políticos, segundo o que é previsto no Código de Processo Penal (CPP).


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM