Jornal do Commercio
definição

Estado vai pagar R$ 246,8 milhões à Odebrecht por quebra de contrato com a Arena Pernambuco

Segundo representantes do governo, valor ainda é metade do que seria pago caso acordo amigável não tivesse sido firmado

Publicado em 10/06/2016, às 15h15

Valor pela Arena será pago pelo Estado à Odebrecht num prazo de 15 anos / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Valor pela Arena será pago pelo Estado à Odebrecht num prazo de 15 anos
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
JC Online
Com informações do repórter Franco Benites

A recisão do contrato da Arena Pernambuco com a Odebrecht custará aos cofres públicos R$ 246,8 milhões. Valor será pago em um prazo de 15 anos. Apesar de rescisão consensual entre o consórcio que administra o equipamento e o governo, ainda há questões judicializadas.

Segundo procurador do Estado, César Caúla, o governo está livre de multa contratual com a Odebrecht. Segundo o governo, a rescisão foi consensual e gerou benefícios ao governo. Sem rescisão amigável, o Estado pagaria o dobro dos R$ 246 milhões acordados.

O governo do Estado está está elaborando o edital de licitação da Arena. A previsão é que fique pronto em 60 dias. De acordo com o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, o custo mensal com pagamento de pessoal da Arena será de R$ 140 mil/mês. A Arena tinha 32 funcionários. Quando o governo assumiu o estádio, o número caiu para 26. Até nova licitação, a Arena será um equipamento público gerado pela Empetur.

Outra novidade apresentada por Carreras é que o estádio passa a se chamar Arena de Pernambuco. O jogo entre Náutico e Paraná neste sábado (11) já será de responsabilidade do governo do Estado. Felipe Carreras afirmou, ainda, que o Estado tem consciência de que o desafio é melhorar mobilidade para a Arena. 



O contrato do Náutico com a Arena também foi rompido. Segundo Carreras, Sport e Santa Cruz são simpáticos a mandar jogos no estádio.

Os representantes do governo não temem que Operação Fair Play afaste interessados na licitação da administração da Arena. O governo afirma que há quatro empresas internacionais interessadas em administrar. 

Outra questão é o terreno cedido à Odebrecht para a construção da Cidade da Copa. Sobre isso, o governo afirma que irá avaliar o que fará com terrenos.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
'; status++; } } else { status = 0; document.getElementById("aovivo").style.display = "none"; } setTimeout(function() { aovivo(); }, 180000); })();