Jornal do Commercio
são joão

Artistas denunciam pagamento de propina em cachês de shows

Áudios de André Rios e Cezzinha denunciando a Empetur e Fundarpe circulam pela internet. Governo do Estado reage em nota

Publicado em 24/06/2016, às 11h22

Cantor André Rio disse que Empetur e Fundarpe pediram metade do cachê devolvido em propina / Foto: JC Imagem
Cantor André Rio disse que Empetur e Fundarpe pediram metade do cachê devolvido em propina
Foto: JC Imagem
Mariana Araújo

Após a divulgação de áudios dos artistas André Rio e Cezzinha, denunciando o pagamento de propinas através de cachês, o governo do Estado apressou-se e divulgou uma nota em que afirma que segue "todos os critérios e normas legais nas contratações", seguindo recomendações do Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público. O texto diz, ainda, que o governo irá acionar a Justiça para punir criminalmente os responsáveis por "acusações inverídicas". A nota é assinada pelos secretários de Turismo, Felipe Carreras, e de Cultura, Marcelino Granja, e pelas presidentes da Empetur, Ana Paula Vilaça, e da Empetur, Márcia Souto. 

No aúdio divulgado no aplicativo Whatsapp, André Rio conversa com um amigo identificado apenas como Claudinho e afirma que recebeu, no dia último dia 22, convites da Empetur para fazer quatro shows no período junino, sendo dois pela Fundarpe. "Acontece o seguinte: eu teria que deixar metade do meu cachê de comissão. Tá vendo como são as coisas aqui nesse Estado? Como é que tá o Estado?", denuncia. 

Confira o áudio de André Rio:

"Se todo mundo não tiver uma postura de ombridade, de não aceitar e denunciar. Porque eu não pago nenhum tipo de 'bola' (propina). Tenho empresário para isso. E eles têm obrigação constitucional, na Constituição brasileira e do Estado, de promover a nossa cultura. Isso é um abusrdo eles chegarem de última hora oferecendo uma cidade longe, pega o cachê e diz que tem que deixar metade do chachê de 'bola' para para as pessoas que dirigem esses órgãos, essa esculhambação que tá. temos que nos juntar e ir no Ministério Público", acrescenta André Rios. 



Em seguida, foi divulgado um áudio atribuído a Cezzinha, que concorda com o posicionamento de André Rio e cobra união da classe artística. "André de fato tomou uma atitude que eu já venho falando há muito tempo, que deveríamos tomar. Algumas pessoas devem até estar perguntando porque eu não estou fazendo muito show. Por conta dessas sacanagens. E eu acho que a gente deve se posicionar, tem que acabar essa roubalheira toda e tem que se unir. É nessa hora que eu acho que a gente tem que fazer a diferença. Vamos fazer a diferença se unindo e agindo com atitude", diz Cezzinha.

Confira o áudio de Cezzinha:

A reportagem está tentanto contato com os artistas envolvidos na denúncia.

Confira a nota do governo do Estado: 

Sobre o áudio gravado pelo cantor André Rio, as secretarias de Turismo e de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco, a Fundarpe e a Empetur informam que trabalham segundo as recomendações definidas pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público, seguindo todos os critérios e normas legais nas contratações. O Governo de Pernambuco vai apurar e punirá civil e criminalmente qualquer um que venha a tomar este tipo de atitude na atual gestão. Além disso, vai acionar judicialmente qualquer pessoa que faça acusações inverídicas,  para que ele possa informar e provar quem realizou ou propôs este tipo de negociação, tal como o relatado pelo citado cantor.

- Felipe Carreras (secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco)

- Marcelino Granja (secretário de Cultura de Pernambuco)

- Ana Paula Vilaça (presidenta da Empetur)

- Márcia Souto (presidenta da Fundarpe)



Comentários

Por Lucicleide,27/06/2016

Que Brasil é esse. Tudo hoje gira em torno de propina...Agora se entende o cachê de WS. Pagam rios de dinheiro a artistas que nem forró tocam, pagam mínimos aos nossos forrozeiros de raiz e ainda cobram propina? Estamos perdinos. Vamos lembrar que esse ano tem eleição.

Por Marcelo,25/06/2016

A culpa é nossa!!! Nós que colocamos esses safados onde estão. Concordo com o artista quando diz que somos nós que vamos fazer a diferença e é verdade. Temos que nos indignar com todos os níveis de propina. Temos que melhorar esse país custe o que custar para nossos filhos e netos.

Por helder,25/06/2016

A Polícia Federal deve entrar nesse negócio milionário, nessa corrupção feita com o NOSSO dinheiro. Vai ser outra Lava Jato. Esses artistas estão ricos não pela sua competência, mas pela "competência" seus lobistas que conseguem aprovações absurdas pela rei Rouanet. Por falar nisso, Sr Temer, que tal acabar com essa lei?

Por Jarbas,25/06/2016

VERGONHA

Por ANTONIO FERNANDO DOS SANTOS,25/06/2016

Isso denunciado é a pura verdade, mas os órgãos de controle como TCU, TCE e MINISTERIO PUBLICO pode intervirem preventivamente quando for publicada o edital de dispensa de licitação ou inexibilidade ou mesmo nunca visto as modalidades de licitação, inclusive o pregão. Esse tipo de despesa é um filé para desvio de dinheiro público e somente participam os artistas que entram no esquema através de seus empresários que também comem dos artistas. Acerta um preço com o artista e noutra ponta acerta o esquema com gestor público. Não adianta o governo federal, estadual e municipal contestarem que essa mutreta é antiga. Operação Forró LAVO JATO iria dá certo.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM