Jornal do Commercio
SÃO JOÃO

Polícia abre investigação sobre denúncia de máfia de shows em Pernambuco

O próprio governo solicitou, junto à Polícia Civil, a abertura do inquérito para investigação do conteúdo das gravações.

Publicado em 25/06/2016, às 10h19

Cantor debateu tema no programa Mesa de Bar, da Rádio Jornal / Foto: André Nery/ JC Imagem
Cantor debateu tema no programa Mesa de Bar, da Rádio Jornal
Foto: André Nery/ JC Imagem
JC Online

Atualização: 00h30 de 26/6

Um inquérito será aberto nesta segunda-feira (27) para apuração do conteúdo das gravações feitas pelos cantores André Rio e Cezzinha, em que os artistas denunciam pagamento de propina por intermediários em shows realizados no Estado. O pedido foi feito junto à Polícia Civil pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, através do secretário Felipe Carreras, nessa sexta-feira (24).

 >>> OPINIÃO: Terceirização da cultura [FERNANDO CASTILHO]

No documento encaminhado ao chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Antônio Barros, o secretário afirma que as gravações vazadas pelo aplicativo Whatsapp "possuem vigor suficiente para instruir a abertura do procedimento investigatório, no sentido de elucidar a verdade dos fatos e estabelecer responsabilidades".

No áudio, Andre Rio conversa com interlocutor chamado Claudinho e afirma que recebeu, no última dia 22, convite da Empetur para realizar quatro shows no período junino, sendo dois pela Fundarpe. "Eu teria que deixar metade do meu cachê de comissão. Tá vendo como são as coisas aqui neste Estado?", denunciou.  

Logo depois, outro áudio, dessa vez atribuído ao cantor Cezzinha, foi divulgado através do mesmo aplicativo. Na gravação, Cezzinha concorda com o posicionamento de André Rio e cobra que a classe artística faça a diferença "se unindo e agindo com atitude". 

O governo do Estado divulgou nota afirmando que "as Secretarias de Turismo e Cultura do Governo do Estado de Pernambuco, a Fundarpe e a Empetur trabalham segundo as recomendações definidas pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público, seguindo todos os critérios e normas legais nas contratações". O texto afirma ainda que deve processar o cantor.



MESA DE BAR - Pouco antes de entrar no programa Mesa de Bar, da Rádio Jornal, na manhã deste sábado (25), o cantor André Rio reafirmou sua visão de que há uso indevido dos recursos repassados pela Empetur e Fundarpe no interior do Estado. Deixou claro, porém, que não está acusando os gestores dos órgãos ou de secretarias do governo estadual. Confira depoimento abaixo:

Na opinião do artista, o governo seria um "co-autor", pois financia, com dinheiro público por intermédio da Empetur e Fundarpe, municípios que pagam por shows promovidos por aquilo que chama de "práticas erradas", deixando de fiscalizar com rigor o uso dos recursos.

André Rio apoiou a investigação que será aberta na segunda-feira, dizendo ser benéfica para que haja esclarecimentos sobre tais práticas, para fortalecer a cultura pernambucana. Disse, ainda, que quando for depor apresentará os nomes com provas das pessoas que teriam pedido propina.

O secretário de Turismo do Estado, Felipe Carreras, se pronunciou ao programa pelo telefone:  "O governo sempre esteve de portas abertas para os artistas pernambucanos e sabemos que várias das queixas que a classe tem a fazer são legítimas, mas recebemos com indignação a informação de que pessoas sérias de vários órgãos foram colocadas sob suspeita de cobrança de propina. André Rio agora fala de produtores do interior, mas não deixa de nos citar como corresponsáveis. Nossas imagens estão sendo maculadas", afirmou.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM