Jornal do Commercio
RETRATOS DA PERIFERIA

Eleitores das classes C e D aprovam Bolsa Família, mas apontam falhas

Pesquisa qualitativa do Instituto Uninassau ouviu moradores de comunidades do Recife sobre questões relacionadas à política e economia

Publicado em 03/06/2017, às 14h53

Programa de transferência de renda divide opiniões. Maioria aprova, mas aponta falhas na fiscalização / Foto: JC Imagem
Programa de transferência de renda divide opiniões. Maioria aprova, mas aponta falhas na fiscalização
Foto: JC Imagem
Marcela Balbino

Não há unanimidade quando o assunto é Bolsa Família. Para os entrevistados, muitos dos quais recebem ou receberam o benefício, a medida é considerada necessária. No entanto, há uma percepção de que o programa de transferência de renda é marcado por falhas. Uma das respostas mais recorrentes durante as entrevistas com os grupos é que “muitos são privilegiados sem precisar da ajuda”.

Segundo a pesquisa, o eleitor da periferia identifica que “muitos fazem filhos para terem acesso à Bolsa”. As políticas públicas executadas pelo governo, no entanto, não vieram de forma espontânea.

De acordo com Adriano, isso se justifica porque há uma impressão negativa dos governos e a existência de demandas que não são solucionadas por eles. “Isso faz com que os eleitores não reconheçam ou citem políticas públicas espontaneamente”, explicou.



Quando questionados se lembravam de algo, a maioria citava ações mais próximas, como o Pacto pela Vida ou o Mãe Coruja, ambos programas desenvolvidas pelo governo de Pernambuco. O Bolsa Família, por exemplo, precisou ser estimulado pelo coordenador para que as pessoas opinassem. O programa de segurança pública foi bastante citado, porque o aumento da violência foi o principal problema apontado pela maioria dos ouvidos. 

VEJA ENTREVISTA COM PROFESSOR ADRIANO OLIVEIRA

A percepção dos eleitores sobre o desvio do uso do Bolsa Família foi relatado por Taís Maria da Silva. Durante a entrevista, ela mencionou que aprova o benefício, mas que conhece pessoas da vizinhança que recebem e não precisam. “Conheço gente que paga roupa com o dinheiro do Bolsa Família. Coisas nada a ver, né? Era para estar usando esse dinheiro para outra coisa. Isso é gente que eu conheço da localidade, que vive por aqui por perto”, contou a autônoma, que trabalha como cabeleireira.

Dados atualizados do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) indicam que, no Recife, 97.950 famílias são atendidas pelo Bolsa Família. Juntas, elas recebem R$ 12.824.807 por mês do programa. O benefício médio é de R$ 130,93 por família.

VEJA ÍNTEGRA DA PESQUISA

 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM