Jornal do Commercio
Violação de liberdade religiosa

Postagem de Michelle Collins sobre Iemanjá é alvo de inquérito no MPPE

Post em que a vereadora do Recife afirmava estar orando para quebrar 'maldição de Iemanjá' já tinha sido alvo de representação contra ela na Câmara

Publicado em 14/02/2018, às 13h49

MPPE vai apurar uma possível violação de liberdade religiosa das comunidades de terreiro em post das redes sociais da vereadora / Foto: JC Imagem
MPPE vai apurar uma possível violação de liberdade religiosa das comunidades de terreiro em post das redes sociais da vereadora
Foto: JC Imagem
Editoria de Política

A polêmica postagem da vereadora do Recife Michelle Collins (PP) em que ela afirma estar orando para quebrar a "maldição de Iemanjá", orixá do Candomblé, dessa fez foi alvo de inquérito aberto pelo Ministério Público do Estado de Pernambuco. O MPPE vai apurar uma possível violação de liberdade religiosa das comunidades de terreiro que teria ocorrido durante "Noite de Intercessão no Recife" no dia 3 de fevereiro, com a participação da vereadora. 

Neste dia, Michelle, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara do Recife, publicou no seu Twitter e Facebook, respectivamente, nos dias 3 e 4 de fevereiro a mensagem: “Noite de Intercessão no Recife, orando por Pernambuco e pelo Brasil, na Orla de Boa Viagem, clamando e quebrando toda maldição de Iemanjá lançada contra nossa terra em nome de Jesus. O Brasil é do Senhor Jesus. Quem concorda e crê diz amém”. 

Na época da postagem, a vereadora esclareceu via assessoria que "em nenhum momento teve a intenção de ofender ou propagar qualquer mensagem de ódio religioso". "Todos sabem que a Missionária é veementemente contra qualquer intolerância religiosa, inclusive já deletou a postagem de suas redes sociais, diante dessa falha na elaboração do texto. A vereadora Missionária Michele Collins pede desculpas aos que se ofenderam".



O MPPE determina que a parlamentar deve comparecer à 7ª Promotoria de Justiça e Defesa da Cidadania da Capital para prestar esclarecimentos em data ainda a ser determinada. Convoca também representantes de diversas entidades, incluindo a Igreja Família 61, onde foi realizada a "Noite de Intercessão no Recife" e a Comunidade de Terreiro Azé Axé Àse Òrisànlá Tàlábí, que repudiou a declaração da vereadora. Um post no Facebook do terreiro afirma que “Iemanjá nunca amaldiçoou ninguém” e que exigem “respeito as nossas práticas, as nossas atividades e aos nosso territórios sagrados”.

Representação na Câmara

Os advogados Pedro Josephi e Danielle Portela, pré-candidata ao governo do estado pelo PSOL, entraram na última quinta-feira (8) com uma representação no Conselho de Ética da Câmara Municipal do Recife contra a vereadora. No documento, eles alegam que houve crime contra o sentimento religioso, injúria e intolerância religiosa. "A iniciativa de representar contra Michele Collins é um grito de respeito e contra o preconceito, em especial, que atinge as religiões de matriz africana. Se a Câmara ficar silente, passará uma imagem de complacência com atitudes e ações de intolerância como estas”, diz trecho da representação. 


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Recifense,24/02/2018

Intolerantes foram os praticantes da religião de matriz africana. A cristã emitiu a opinião dela E FOI ESCRACHADA pelos devotos de Iemanjá. Isso é PATRULHAMENTO IDEOLÓGICO contra os cristãos evangélico. HORA NENHUMA a vi incitando qualquer coisa CONTRA os praticantes. VI ela defendendo a fé dela, se ela crê que Iemanjá é criação do diabo, isso é crime?

Por João,14/02/2018

Pesquisem sobre quem era o marido dela antes de se tornar "pastor".

Por JOSÉ CARLOS,14/02/2018

Desculpem-me os bons, mas evangelismo e intolerância já são quase sinônimos por causa de atitudes como a desta senhora, que o Deus de todos e tudo, toque em seu coração!

Por Ferreira Filho,14/02/2018

Sou cristão mas não concordo com esses( e essas) "donos de Jesus", "comerciantes da Bíblia" que querem impor suas crenças destruindo a dos outros. Tem de ser investigada sim, a lei é para todos. Salve Yemanjá! Viva Jesus!

Por RAISSA IRIS,14/02/2018

ELA APENAS FOI INFELIZ NAS PALAVRAS QUEM NÃO COMETE ERRO QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA! TUDO AGORA É ODIO É PRECONCEITO É REPUDIO, NOS DEVERIAMOS ESTA COM O NOSSO DARDO APONTADO PARA OS NOSSOS GOVERNANTES E NÃO PARA ESSA MULHER. VAMOS TER MAIS BOM SENSO



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM