Jornal do Commercio
Homenagem

Miguel Arraes terá seu nome no Livro de Heróis da Pátria

O projeto foi aprovado nessa quinta-feira (9). A relatora da proposta afirmou que a marca da política de Miguel Arraes foi a sua luta pela democracia e o combate a desigualdade social do país

Publicado em 10/08/2018, às 07h23

Miguel Arraes foi deputado federal e estadual, prefeito de Recife, três vezes governador do estado e presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) até 2005, ano de sua morte. / Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem
Miguel Arraes foi deputado federal e estadual, prefeito de Recife, três vezes governador do estado e presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) até 2005, ano de sua morte.
Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem
JC Online

O ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, poderá ter o seu nome escrito no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 136/2017, que propõe a inclusão do nome, foi aprovado nessa quinta-feira (9) pelo Plenário do Senado e segue para a sanção presidencial.  

“Miguel Arraes é um daqueles personagens da nossa história que honra o exercício da política. A marca da sua atuação política, foi de fato, a luta pela democracia e o combate as históricas e gravíssimas desigualdades sociais que marcam o nosso país”, afirmou a senadora Lídice da Mata (PSB/BA), relatora da proposta.  

Segundo o presidente do senado, Eunício Oliveira (PMDB/CE), a homenagem também é para o neto de Arraes, o ex-governador Eduardo Campos, que faleceu em um acidente aéreo, em 2014. “Pela história do nosso saudoso e querido Miguel Arraes e uma extensão de homenagem ao meu querido amigo, que se foi tão cedo, Eduardo Campos”.  



O Livro de Heróis e Heroínas da Pátria está guardado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília. Também estão na lista nomes como: Tiradentes, Anita Garibaldi, Santos Dumont, Zumbi do Palmares, entre alguns personagens importantes da Insurreição Pernambucana, como Francisco Barreto de Menezes e Antônio Felipe Camarão. 

História de Miguel Arraes

Apesar de nascer no Ceará, Miguel Arraes fez a sua carreira política em Pernambuco. Foi deputado federal e estadual, prefeito de Recife, três vezes governador do estado e presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) até 2005, ano de sua morte.

Seu primeiro mandato no governo foi interrompido pela ditadura militar, após a sua prisão em 1964. Ele precisou sair do país e passou mais de dez anos exilado no Chile e na Argélia. Retornou para o Brasil após a Lei da Anistia, em 1979. Arraes foi recebido por cerca de 50 mil pessoas em um comício no Recife. Foi reeleito para o Governo do Estado em 1987 e 1995. 



Comentários

Por Revoltado,10/08/2018

Vale lembrar que a grande causa de todo esse caos vivido em Recife, é fruto do governo desse velho maldito, que ia para o interior do estado com falsas promessas, trazia familias inteiras para o Recife, e quando chegavam aqui a unica coisa que recebiam era um terreno de propriedade desconhecida para invadir. Não vivi nesse tempo, mas tenho muitos relatos envolvendo esse pilantra, que ainda por fim, deixou o neto e toda a familia no comando do estado.

Por Ligia,10/08/2018

Poxa, o conceito de herói tem caído muito no Brasil.

Por Fernando,10/08/2018

Lidice da Mata é senadora pelo estado da Bahia, e não por Pernambuco

Por José de Arimatea liira Moura,10/08/2018

Tive o prazer de ser ELEITOR do grande político Miguel Arraes e sem dúvida foi um socialista defensor das causas populares!!!!!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM