Jornal do Commercio
DÍVIDA

Casa de Farinha suspende o fornecimento de merenda em 15 escolas de PE

A empresa Casa de Farinha alega falta de pagamento por parte do Governo de Pernambuco de notas fiscais que chegam até seis meses de atraso

Publicado em 05/12/2018, às 13h14

A Casa de Farinha alega falta de pagamento em notas de até seis meses / Foto: Reprodução/TV Jornal
A Casa de Farinha alega falta de pagamento em notas de até seis meses
Foto: Reprodução/TV Jornal
Da Editoria de Política

A Casa de Farinha S.A., responsável pelo fornecimento de merenda para escolas estaduais de Pernambuco, suspendeu o fornecimento de alimentos em 15 escolas estaduais de 10 diferentes cidades do Estado. Segundo a empresa, a suspensão se deu pelo atraso no pagamento que fica a cargo da Secretaria de Educação estadual.

De acordo com a Casa de Farinha, a falta de pagamento é referente a notas ficais de até seis meses. A paralisação acontece desde a última segunda-feira (3). Ao JC, a fornecedora informou que vai restabelecer o serviço a partir desta quinta-feira (6), pois recebeu uma nova promessa da Secretaria de Educação de que o pagamento será realizado nos próximos dias. 

>> Estado faz parte do pagamento e Casa de Farinha segue fornecendo merenda

À Rádio Jornal, alunos da Escola de Referência Olinto Victor, na Várzea, Zona Oeste do Recife, afirmaram que estão sem aulas em horário integral na unidade desde segunda-feira. De acordo com os estudantes, eles passaram a ser liberados às 11h por falta de alimentação.



NOTIFICAÇÃO

Em novembro, após notificar o Governo do Estado sobre uma suspensão na distribuição de merendas escolares de 66 escolas em 35 cidades de Pernambuco, a Casa de Farinha S.A. afirmou ter recebido parte do pagamento e retomou prontamente a distribuição dos alimentos. Em nota, a empresa disse que recebeu o valor equivalente a cerca de 10% do débito total de cerca de R$ 8 milhões, pago via Secretaria de Educação.

A empresa destacou que a continuidade do fornecimento estará condicionada ao cumprimento do cronograma de pagamento que será estabelecido com o Governo do Estado. "Entendemos a delicada situação financeira a qual o Estado se encontra, entretanto, a ausência de pagamentos por tanto tempo torna inviável a manutenção do serviço. Mesmo com os atrasos a Casa de Farinha vem honrando a folha de pagamento e os tributos necessários. Acreditamos no compromisso do Estado", afirmou a Casa de Farinha no último dia 20 de novembro.

De acordo com a Casa de Farinha, após o pagamento dos 10%, o governo estadual não seguiu o cronograma acertado.

RESPOSTA

A Secretaria de Educação de Pernambuco informou que a maior parte das escolas do Estado conta com merenda escolarizada, ou seja, os alimentos são preparados pelas merendeiras da própria unidade de ensino. "Para uma outra parte das escolas, a merenda é preparada por 13 empresas terceirizadas contratadas pelo Estado, sendo a Casa de Farinha apenas uma delas. A Secretaria esclarece ainda que a rede estadual funcionou normalmente nesta quarta-feira (05). A Secretaria esclarece ainda que o ocorrido em poucas unidades nesta quarta, é um caso isolado e que já conversou com a empresa responsável a fim de garantir que não ocorra a interrupção da alimentação de estudantes. A empresa, inclusive, já informou que a partir desta quinta-feira (06) o serviço de merenda dessas unidades específicas será restabelecido", diz a nota.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Genivaldo Santos,05/12/2018

Isso é jogada ensaiada, jogo de carta marcada.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM