Jornal do Commercio
tce

Apenas 13 cidades pernambucanas se destacam em Índice de Gestão

O indicador mostra a qualidade da administração municipal, dando notas A (altamente efetiva), B+ (muito efetiva), B (efetiva), C+ (em fase de adequação) e C (baixo nível de adequação)

Publicado em 06/12/2018, às 09h21

Foi o primeiro ano que o TCE divulgou esse índice, com cálculo padronizado pelo reconhecido Instituto Rui Barbosa junto com o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão / Foto: JC Imagem
Foi o primeiro ano que o TCE divulgou esse índice, com cálculo padronizado pelo reconhecido Instituto Rui Barbosa junto com o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão
Foto: JC Imagem
JC Online

Somente 13 cidades de Pernambuco alcançaram a nota B, que indica a gestão como “efetiva” no Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), divulgado ontem pelo Tribunal de Contas de Estado (TCE): Afogados da Ingazeira, Barra de Guabiraba, Camaragibe, Cupira, Jaboatão dos Guararapes, Jaqueira, Orobó, Panelas, Paudalho, Paulista, Recife, São Bento do Una e Triunfo. O indicador mostra a qualidade da administração municipal, dando notas A (altamente efetiva), B+ (muito efetiva), B (efetiva), C+ (em fase de adequação) e C (baixo nível de adequação), obtidas como se fossem uma média do desempenho em sete áreas, incluindo saúde, educação, planejamento, gestão fiscal, meio ambiente, proteção das cidades e governança da tecnologia da informação.

Em Pernambuco, nenhuma nota A. “É difícil o município ter a nota A, porque precisa ter notas acima de 9 em pelo menos cinco áreas diferentes. É a primeira vez que fazemos isso. A partir da hora que começamos a medir, há uma tendência de que as prefeituras comecem a apresentar uma gestão melhor em várias áreas”, diz o diretor do Departamento de Controle Municipal do TCE, Antônio Cabral.

Foi o primeiro ano que o TCE divulgou esse índice, com cálculo padronizado pelo reconhecido Instituto Rui Barbosa junto com o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão. 



Os dados usados para calcular as notas são fornecidos pelos próprias prefeituras e não são auditados pelo TCE. Dos 184 municípios pernambucanos, 159 responderam aos sete questionários que compõem o índice.

Não responderam

Olinda, Ipojuca, Chã de Alegria, Mirandiba, Calçado, Cachoeirinha, Jucati, Sanharó, Capoeiras, Manari, São João, Terezinha, Tupanatinga, Catende, Cortês, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Tamandaré, Granito, Santa Cruz, Bezerros, Casinhas, Salgadinho responderam parcialmente ao IEGM. Os municípios de Jurema e Quipapá não responderam a qualquer dos indicadores.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM