Jornal do Commercio
Bolsa Família

Pagamento do 13º do Bolsa Família será dividido em 3 etapas, diz secretário

Sileno Guedes também explicou que o programa passou a valer nesta última sexta-feira (29)

Publicado em 04/04/2019, às 10h55

O governador de PE apresentou nesta quinta, a gestores dos municípios, o funcionamento do programa / Foto: EBC
O governador de PE apresentou nesta quinta, a gestores dos municípios, o funcionamento do programa
Foto: EBC
Da Editoria de Política

Valendo desde a última sexta-feira (29), o programa Nota Fiscal Solidária, conhecido como 13º do Bolsa Família, terá o pagamento dividido em três etapas a partir de fevereiro de 2020, explicou o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude do Estado, Sileno Guedes. O secretário ainda explicou que o programa foi lançado pelo governador Paulo Câmara (PSB), nesta quinta-feira (04), em cerimônia no Centro de Convenções, em Olinda. 

"A decisão do governo do Estado é que todo beneficiário, todas as pessoas que recebem o benefício do Bolsa Família receberá uma 13ª parcela. Essa parcela é limitada até o valor de R$ 150. A 13ª parcela está garantida e nós vamos dividir em três turmas de pagamento, em uma parcela única de pagamento, nos meses de fevereiro, março e abril, porque como o programa está começando agora, nós vamos apurar até o final de dezembro para que em fevereiro a gente pague a primeira turma", explicou Sileno em entrevista a TV Globo nesta quinta.

O secretário explicou que o beneficiário que nasceu entre janeiro e abril, deve receber o benefício em fevereiro de 2020. Já os nascidos entre maio e agosto, receberá em março, enquanto os que nasceram nos últimos quatro meses do ano, terá a quantia depositada em abril. 

"Não precisa juntar nota, não precisa ter correria, porque tudo será feito pelo sistema. Você vai a um supermercado, vai a uma farmácia, pede para colocar teu CPF na nota fiscal e a partir daí, em fevereiro do ano que vem começará o pagamento referente ao 13º", completou. 



Como funcionará

O texto da lei nº 16.490, de 3 de dezembro de 2018 diz que será concedido benefício de até R$ 150 a pessoas cadastradas no Bolsa Família que comprarem itens da cesta básica – em estabelecimentos que emitam nota fiscal – entre 6 de março de 2019 e 1º de dezembro de 2019.

O pagamento do benefício terá que ser efetuado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, mediante requerimento do Responsável Familiar. Também ficou sancionado que o responsável familiar tem o prazo de 180 dias para requerer o benefício financeiro, "contados a partir do dia 15 de dezembro do exercício em que é finalizada a correspondente apuração".

A apuração do valor a ser recebido pelos beneficiários será feita pela Secretaria da Fazenda, por meio do Sistema Programa Nota Solidária – SNFS.

O programa funcionará das compras realizadas em locais que emitem a nota fiscal eletrônica e que será a partir da compra que os 5% do imposto será reembolsado no fim da contagem para o beneficiário. "Então pessoas do Bolsa Família, que fizerem compras e pedirem a nota fiscal, dão seu CPF e 5% de tudo que eles compram será devolvido no final do ano até o limite de R$ 150. É um programa para distribuir renda, fazer justiça social, justiça tributária", completou Paulo em entrevista a TV Globo no início do mês de março.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM