Jornal do Commercio
Notícia
PROPOSTA

Rei do passinho, MC Shevchenko é contra projeto de lei de deputada que quer proibir ritmo musical

A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC) apresentou um projeto de lei que propõe a proibição do passinho nas escolas estaduais

Publicado em 10/09/2019, às 18h20

Segundo o MC,
Segundo o MC, "quando a favela está no topo, alguém tenta estragar os sonhos"
Foto: Reprodução/ Instagram
JC Online

O rei do passinho de Pernambuco, MC Shevchenko se manifestou contra o Projeto de Lei Ordinária 494/2019 da deputada estadual Clarissa Tércio (PSC), que propõe a proibição de apresentações de danças em eventos e manifestações culturais "cujas coreografias sejam obscenas, pornográficas, ou exponham as crianças e adolescentes à erotização precoce". Pelas redes sociais, o MC disse que o passinho foi o movimento que "mais tirou os jovens da criminalidade e que diminuiu o índice de violência no último Carnaval".

Na mesma publicação, Shevchenko disse ainda que "quando a favela está no topo, alguém tenta estragar nossos sonhos. Deputada, só tenho uma coisa para dizer, tomara que esteja fazendo a escolha certa". O MC finaliza afirmando que irá lutar "até o último minuto" pelo passinho.

Procurado pela reportagem do JC, o MC afirmou que no Estado há outras questões mais importantes a serem discutidas. "Tem tanta gente em hospitais sem ter, inclusive, lugar para dormir. Tantos jovens que ela poderia estar preocupada e ela escolheu o tema que está em evidência, que é o passinho. Ela falou que quer proibir isso das escolas, mas eu acredito que as crianças que dançam o passinho não fazem isso nas salas de aula, pois nenhum professor deixaria isso acontecer. Mas na escola existe o recreio e esse momento, eu acredito, que é de diversão dessas crianças", comentou.

Segundo Shevchenko, não há possibilidade de o passinho deixar de existir. "Sempre será o movimento deles contra o nosso, porque o passinho é independente e só vai acabar se todos do grupo deixarem de dançar e isso é impossível. Sempre existirão danças nas músicas. Hoje é o passinho, amanhã é swinguera, depois axé, funk e assim sucessivamente. As danças nunca irão acabar, só vão se inovando a cada ano que passa", concluiu.

Projeto de Lei Ordinária

No projeto de lei, considera-se pornográfico ou obsceno "coreografias que aludam a prática de relação sexual ou de ato libidinoso". É proposto ainda que as escolas estaduais incluam no projeto pedagógico "medidas de conscientização, prevenção e combate à erotização infantil".

Nos objetivos a serem atingidos, a deputada propõe:

I - Prevenir e combater a prática de erotização infantil no comportamento e aprendizado social de crianças;
II - Capacitar docentes e equipe pedagógica para a implementação das ações de discussão, prevenção, orientação e solução do problema;
III - Orientar os envolvidos em situação de erotização precoce, visando à recuperação da atuação comportamental, o pleno desenvolvimento e a convivência harmônica no ambiente social;
IV - Envolver a família no processo de construção da cultura do combate à erotização infantil.

Na justificativa do projeto, a deputada usa como embasamento seis artigos da Lei Federal n° 8.069/1990, que "Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências". São eles:

Art. 4°: É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.



Parágrafo único. A garantia de prioridade compreende:
(...)
c) preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas;
d) destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção à infância e à juventude.

Art. 5°: Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.

(...)
Art. 7°: A criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas sociais públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência.

(...)
Art. 15°: A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis.

(...)
Art. 17°: O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.

Art. 18°: É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

Segundo a parlamentar, a lei busca garantir "a eficácia e o respeito aos direitos da infância e adolescência, conscientizando as famílias, a sociedade civil acerca da Constituição e das leis vigentes no país sobre a proteção à proteção às crianças". A proposta da deputada estadual ainda não está em tramitação.

Assista ao especial sobre o passinho


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM