Jornal do Commercio
Notícia
Urgência

Projeto com mudanças na Previdência de Pernambuco tramita em regime de urgência

Aumento da alíquota de 13,5% para 14% descontada dos servidores Regime de Previdência de Pernambuco deve ser votada nesta quarta (10) na Alepe

Publicado em 10/12/2019, às 19h48

Comissão de Constituição e Justiça da Alepe vai votar projeto nesta quarta-feira (11) / Foto: Rinaldo Marques/Alepe
Comissão de Constituição e Justiça da Alepe vai votar projeto nesta quarta-feira (11)
Foto: Rinaldo Marques/Alepe
Editoria de Política

Às vésperas de se encerrar o ano legislativo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em 19 de dezembro, o projeto com mudanças no Sistema de Previdência Social dos Servidores do Estado de Pernambuco (PLC nº 830/2019) tramita em regime de urgência na Casa. Ele será apreciado nesta quarta-feira (11) pela manhã nas três comissões para as quais foi encaminhado: Constituição, Legislação e Justiça (CCLJ) - que avalia a sua constitucionalidade - Finanças e Administração Pública e à tarde deve ser votado no plenário da Casa. 

O Projeto de Lei Complementar 830/2019 altera a alíquota do servidor estadual de 13,5% para 14%, conforme prevê a Emenda Constitucional 103 da Reforma da Previdência. Ela estabelece que os estados e municípios não poderão ter uma alíquota previdenciária inferior a 14%. De acordo com a Fundação de Aposentadorias e Pensões dos Servidores do Estado de Pernambuco (Funape), a projeção econômica prevista, caso o PLC seja aprovado, é de R$ 42 milhões/ano.

O requerimento foi protocolado pelo líder da bancada governista na Alepe, Isaltino Nascimento (PSB). O Governo de Pernambuco tem pressa na aprovação do projeto devido ao prazo de validade da Certidão de Regularidade Previdenciária do Governo Estadual, em 19 de fevereiro. Até lá, o Estado deve se adequar as mudanças previstas na Reforma da Previdência do governo federal ou ficará com a certidão negativa, o que o impediria de contratar operações de crédito e receber transferências voluntárias da União, por exemplo. 

> Entenda como vai funcionar a reforma da Previdência em Pernambuco

De acordo com o Regimento Interno da Casa, os projetos em regime de urgência têm tramitação mais rápida, com prazo de três sessões para apresentação de emendas e cinco sessões para apresentação dos pareceres pelos relatores das comissões.

O Fórum dos Servidores reuniu-se nesta terça-feira (10) com a secretária de Administração, Marília Lins, em uma edição antecipada da Mesa Permanente de Negociação entre o Estado e servidores. A mesa estava prevista para ser realizada na próxima sexta-feira (16), mas foi antecipada para tratar justamente do projeto. Ele, por sua vez, estava programado para ser votado na Comissão de Constituição, Legislação e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (10), mas após acordo, a discussão foi adiada para esta quarta-feira (11) em reunião extraordinária do colegiado. 

"A reivindicação deles é ampliar e a conversa. Eu estou na expectativa é que seja uma conversa promissora do ponto de vista de fechar alguns acordos. Mas eu acho que foi importante o papel da Alepe, foi o adiamento de um dia mas proporcionou essa reunião, porque a audiência pública não deu vencimento a todas as questões", afirmou a deputada Teresa Leitão (PT). 



Os servidores estiveram na Alepe nessa segunda-feira (9) para entregar um ofício ao presidente da Casa, Eriberto Medeiros (PP), pedindo a retirada do projeto da pauta deste ano. Teresa Leitão, João Paulo (PCdoB) e o líder do governo na Casa, Isaltino Nascimento (PSB), acompanharam os servidores na visita à Casa. O mesmo ofício também foi enviado para o governador Paulo Câmara (PSB). Até a última atualização desta matéria, Eriberto Medeiros ainda não havia se pronunciado sobre o pleito. 

No documento, o Fórum reivindica a retirada do PLC 830/2019 da pauta de votação deste ano legislativo e o seu encaminhamento para apreciação em 2020. "Acreditamos que o debate sobre as mudanças na legislação de previdência, por impactar na vida de milhares de famílias pernambucanas, precisa ser aprofundado com o conjunto de servidores e seus sindicatos representativos", diz um trecho do ofício.

Para dar entrada em um pedido de tramitação em regime de urgência sem a necessidade de submeter a proposta a votação em plenário, é preciso o apoiamento da maioria absoluta (metade mais um) dos deputados estaduais. Assinaram o requerimento 25 dos 49 parlamentares, da oposição e do governo. 

Previdência

Outra alteração proposta pela legislação é a promoção da segregação de massas do regime próprio de Previdência do Estado, que seria possibilitada pela implementação de um fundo de capitalização chamado Funaprev. Ele impõe o teto de aposentadoria do INSS para os novos servidores, atualmente fixado em R$ 5.839,45. Isso está previsto na Lei Complementar nº 257/2013, mas até então não foi regulamentado. 

O movimento do governo se justificaria porque o fundo previdenciário utilizado atualmente, o Funafin, de repartição simples, tem um déficit de cerca de R$ 2,7 bilhões, segundo a Funape. São 119.969 servidores ativos, 72.372 inativos e 25.479 pensionistas. Após a entrada em vigor do Funaprev, todos os novos servidores estaduais seriam vinculados a ele – exceto militares –, o que, segundo a expectativa do governo, poderia ajudar a equilibrar o sistema. O governo também propõe aumentar as suas contribuições previdenciárias passando de 27% para 28%. 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM