Jornal do Commercio
COMPORTAMENTO

Amor que brota do cotidiano

Não são poucas as famílias felizes que começam numa adoção Brasil afora. Mesmo assim, ainda há quem não entenda a relação entre pais e filhos que nasce do papel e não da barriga

Publicado em 09/03/2012, às 18h14

Do JC Online

Nem toda árvore genealógica frondosa começa dentro de um óvulo. Para muitos, família é um conceito que brota de encontros que a vida providencia e a Justiça sacramenta. E por mais retratos felizes que tenha Brasil afora, a adoção ainda é prática que muitos não entendem. Para quem aposta no amor que não respeita sangue, cor, nem degrau da pirâmide social, difícil não é estabelecer vínculos afetivos definitivos dentro de casa, mas vencer o preconceito lá fora.

Pudera. Por mais antiga que seja a adoção, faz só três anos que o País passou a contar com uma legislação específica para reger a prática. Mesmo assim, garantem os juristas, ainda há muita gente que não recorre à lei na hora de aumentar a família assumindo as crias alheias. Muitos erram na intenção, outros nos acordos estabelecidos, e ainda há quem peque pela falta de sinceridade. “Contar a verdade é sempre necessário. Porque, se os pais adotivos mentem com relação à adoção, a criança pode achar que mentem com relação ao afeto também”, diz Suzana Schettini, psicóloga e mãe adotiva.



Com erros, acertos, altos, baixos e, de preferência, honestidade, muitas famílias começam a escrever histórias felizes da adoção em diante. “Chego a esquecer que sou adotada. Porque isso não importa, na verdade. A relação que tenho com meus pais é de verdade. Não interessa de onde ou de quem eu vim”, diz Maria Luiza Albuquerque, 18. E diz muito mais na matéria escrita por Bruna Cabral sobre adoção, que será publicada no caderno Arrecifes deste domingo (11/03). 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM