Jornal do Commercio
Meu Bairro

Candeias: um paraíso particular

O pacato e praieiro bairro dá refúgio a quem não abre mão da vida urbana, mas sem o ritmo acelerado dos grandes centros.

Publicado em 28/05/2012, às 20h28

Dani Freire

“Depois da curva do S, Dani, não tem erro.” E de fato não teve. A série Lá onde eu moro deste domingo saiu do Recife e aportou em Jaboatão dos Guararapes, mais precisamente em Candeias. É assim, antes ou depois da curva, duas ruas após ou cinco sinais para frente, que os moradores de lá explicam como se chega, em que parte moram ou qual o melhor trecho para dar um mergulho no mar.

E foi seguindo as referências que chegamos até Nando Cordel. Morando no bairro há mais de 15 anos, o cantor diz que Candeias, mais que fonte de inspiração, é um porto seguro. É para lá que ele volta depois das turnês e, jura, não quer sair. “Estou de volta pro meu aconchego, trazendo na mala bastante saudade...”, poetisa.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

Antigo morador do Cabo de Santo Agostinho, quando decidiu se mudar, Nando queria um lugar que fosse perto do Recife, mas que ao mesmo tempo não ficasse tão longe da família, que continuava em terras cabenses. Encontrou Candeias no meio do caminho. Quando chegou na vizinhança, conta, o bairro oferecia pouca infraestrutura. Não havia muitos prédios e estabelecimentos comerciais. Cenário completamente diferente dos dias atuais, onde de banco à supermercado, tudo tem pelas redondezas.

Não se pode negar que o atual boom econômico do Estado ajudou a acelerar o ritmo do lugar. Como diz Nando, “saiu da valsa direto para o samba”. O desenvolvimento do Complexo de Suape, no Litoral Sul, vem contribuindo e muito para as mudanças na geografia do bairro. As casas estão sendo substituídas por prédios cada vez mais altos. Tudo para dar conta do crescente fluxo de trabalhadores que enxergam nas terras pernambucanas boas oportunidades de emprego.

A chegada de tanta gente de fora já se reflete nos índices populacionais. Hoje, são mais de 65 mil pessoas espalhadas pelos 9,8 quilômetros quadrados que abrigam Candeias. O que se vê é uma especulação imobiliária sem precedentes e uma verticalização até pouco tempo atrás impensável.

“Passo muito tempo viajando e quando volto é bem marcante a diferença. É o trânsito que começa a ficar mais complicado, a quantidade de gente circulando pela rua que aumenta. O dia a dia vai se ajustando aos novos sotaques que aqui chegam”, explica o cantor.



Para onde quer que se olhe Candeias é só transformação. Cartão-postal do bairro, a orla também vem sofrendo intervenções. Ao longo dos anos, por causa do avanço das águas, a faixa de praia está diminuindo. Em muitos pontos só é possível passar quando a maré está baixa. Algumas áreas precisaram de diques de pedra para tentar conter a força do oceano.

Ainda bem que para Nando o mar serve mesmo é de inspiração. Foi olhando para o marzão sem fim de Candeias que ele compôs algumas canções, entre elas Coisa linda e É só você querer. “Os amigos que vêm aqui sempre brincam, dizem que com uma vista dessa qualquer um faz música.”

Embora não seja muito de sair, o músico não abre mão de uma caminhada no calçadão de Candeias. E se a data é especial, de uma visita ao restaurante Bodega e Pizza, na Bernardo Vieira de Melo, ou ao Portal Chinês, que fica na mesma avenida.

Engana-se, porém, quem pensa que Candeias é só calmaria. Além da cervejinha e do caranguejo na praia, pergunte a qualquer morador o que fazer no bairro e eles prontamente lhe apresentam uma lista. Logo depois da curva do S, o Beto’s bar é ponto de encontro para paquerar e petiscar ao som de música ao vivo. O Du Maranhão tem um pagodinho esperto aos sábados. Quem vem da balada e quer fazer uma boquinha, a dica é o Fome Zero, na Av. Presidente Castelo Branco.

Comida regional e a cerveja mais gelada de Candeias? Anota aí, é no bar do Samuel, na Rua José Nunes da Cunha. Lá, o sarapatel e o arrumadinho são de deixar até crítico gastronômico com água na boca. Para os que preferem churrasco de primeira, o Recanto Gaúcho, na Ulisses Montarroyos, é uma boa opção.

E para os que ainda insistem em brincar dizendo que o bairro é o fim do mundo, bobagem. Segundo Nando, Candeias é mesmo o começo do paraíso.



Comentários

Por Debora ,28/11/2017

Candeias só é fim do mundo para quem não consegue desfrutar do que é realmente bom. Poder ir a pé e conseguir tudo o que se precisa, colégio, mercado, é um presente pós moderno. Infelizmente, carece muito de olhos gentis que reconheçam seu enorme potencial enquanto bairro/vila. A ausência de infraestrutura, tanto em mobiliários públicos quanto de lazer, são dois dos pontos que quero levantar eu meu trabalho de curso. Quem sabe, futuramente, eu ainda não tenha a alegria de ver Candeias sendo tudo o que ela tem pra ser. Amo o Bairro, não troco por nada.

Por Ary Barreto Januário,30/05/2017

Muito boa a matéria! É isso mesmo. Sou corretor de imóveis e resido-trabalho neste recanto abençoado à 39 anos! Aqui construí minha família e eduquei duas filhas, super-do-bem! Os grandes amigos também encontrei aqui. Um bairro com baixíssimos níveis de violência. Excelente estrutura e abastecimento d'agua. Quando Jaboatão tiver direito a bons políticos vai ser então a 8ª Maravilha! Candeias das cavalgadas à beiramar em noites de lua cheia. De muitos pés de cajú, mangaba, manga espada, e altos coqueiros. Da gaivota Karina do poeta Wladmir Maia Leite. Da poetisa Ysolda Cabral. O apt. do Nando Cordel fui EU quem vendeu! O Betos'bar e o Bodega e Pizza são excelentes. A churrascaria Recanto Gaúcho tem um dos melhores rodizios de carnes nobres. Se vc beber da àgua de côco dos coqueiros de Candeias, nunca mais vai deixar ou esquecer "As Candongas"

Por SAncho ,04/06/2016

Quem conheçe,conhece mesmo. rsrs Agora temos um pub Rock também.

Por Carolina,01/06/2016

Nascida no Rio de Janeiro 33 anos atras, me sinto uma carioca de Candeias onde morei por 22 anos. Amo o bairro. Sou apaixonada mesmo. Entre os amigos eles já sabem, Candeias é meu Alphaville ! Hoje em terras distantes do Brasil sinto saudade do cheiro de praia, de andar conhecendo e acenando pros antigos moradores , rostos de tantos anos. Candeias é assim, a gente vai vendo a vida se transformar. É uma pérola ! Fico entristecida quando ouço da onda de violência e da displicência por parte da administração publica com o bairro e os moradores. Viva Candeias !!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM