Jornal do Commercio
PERSONA

A sabe-tudo de Noronha

Educadora, historiadora e pesquisadora, Marieta Borges fala de suas muitas paixões

Publicado em 03/12/2012, às 12h58

Marieta Borges fez um amplo resgate histórico e sociocultural de Fernando de Noronha / Rafa Medeiros/JC Imagem
Marieta Borges fez um amplo resgate histórico e sociocultural de Fernando de Noronha
Rafa Medeiros/JC Imagem
Cinthya Leite

Educadora, historiadora e pesquisadora, Marieta Borges é daquelas pessoas que têm inspiração a toda hora. É com prazer e sorriso sempre largo que ela compartilha conhecimentos. Não à toa, investiu no ofício de professora para ensinar mesclando música e poesia. E, nesse percurso, descobriu a ilha de Fernando de Noronha, que virou a menina de seus olhos. Nessa conversa com Cinthya Leite, ela fala de suas muitas paixões.

JC - O mundo da arte a seduz?
MARIETA BORGES – Desde criança, fui contagiada por culturas diferentes e ricas. Como meu pai era português, sempre se cantava fado em casa. Isso me emocionava muito. Cresci cantarolando jornadas de pastoril. Tenho 36 delas decoradas. E assim me tornei percussionista, com a música sendo uma válvula de escape para mim. Canto até na Igreja do Carmo, em Olinda.

JC – A escrita também é um combustível?
MARIETA –
É mais uma paixão. Sou daquelas pessoas que têm inspiração a toda hora. Colocar as ideias e os sentimentos no papel, fazendo uso de diferentes linguagens, é uma necessidade. O meu primeiro cordel chama-se Dom Helder no céu. E outros dois folhetos, O mistério da Cacimba do Padre e A lenda do Capitão Kidd, têm como mote os cenários paradisíacos de Fernando de Noronha.

JC – O arquipélago é um xodó?
MARIETA –
A minha curiosidade me fez estreitar laços com Noronha. Quando cheguei lá, na década de 1970, para formar professores da ilha, percebi que eles pouco sabiam sobre a história do arquipélago. Essa realidade me impulsionou a fazer um resgate histórico e sociocultural de Noronha. Como consequência, escrevi três livros sobre a ilha.



JC – O que mais a encanta em Noronha?
MARIETA –
Gosto muito da Baía dos Porcos, para a qual já fiz um poema. Também acho linda a visão que temos da Capela de São Pedro.

JC – É maravilhada pela vida?
MARIETA –
  É ela que me alimenta. Fora do trabalho, tenho uma rotina que me atrai: gosto de caminhar pelo Parque da Jaqueira, fazer hidroginástica, tomar um café com minhas filhas e conversar com meus netos. Sou só felicidade.

JC – O blog marietaborges.com também traz prazer?
MARIETA –
Nele, troco ideias e experiências com pessoas de todo o mundo curiosas em saber mais sobre nossa história, arte popular, patrimônio e personagens de Pernambuco.

JC – No blog, a senhora fala como descobriu Salustiano. Foi um momento especial?
MARIETA –
A primeira vez que o vi foi lá pela década de 1970, num terreiro em Olinda, que sempre despertou a minha atenção pelas lindas festas. Perguntei se ele gostaria de ensinar maracatu, ciranda e outras artes às crianças. Em pouco tempo, ele estava nas escolas de bairros da cidade. E foi assim que se popularizou o mestre do saber popular, que recheia minhas boas recordações.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM