Jornal do Commercio
História

Santa Casa pretende abrir acervo histórico ao público

Fundada há 150 anos, a entidade é guardiã de um pedaço da memória de Pernambuco

Publicado em 19/04/2015, às 08h09

Documentos históricos da Santa Casa ficarão à disposição dos pesquisadores / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Documentos históricos da Santa Casa ficarão à disposição dos pesquisadores
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Cleide Alves

“Nós tínhamos um arquivo, mas na verdade era um depósito, com tudo solto e espalhado pela sala. Como historiador, aquela situação me angustiava, mas tudo tem o seu tempo. Recebi a visita de três alunos da Unicap, levei-os para conhecer o tal acervo e agora estamos criando o Arquivo Histórico da Santa Casa de Misericórdia do Recife”, resume o assessor da diretoria da entidade, José Édson Ferreira de Barros.

A ideia da Santa Casa, no futuro, é fundar um Centro de Documentação e Pesquisa. “Com isso, o público externo poderá conhecer um pouco da história da instituição, fundada há mais de 150 anos”, diz Édson Barros. De origem portuguesa, a Santa Casa de Misericórdia foi criada em 1498 (século 15), na Catedral Patriarcal de Lisboa, pela rainha Leonor, para socorrer doentes necessitados, informa o assessor.

“Em todos os lugares onde os portugueses chegaram, instalaram a Santa Casa. Fora da Península Ibérica, a primeira instituição aberta é a da Ilha da Madeira, que pertence a Portugal. No Novo Mundo, a primeira construída é a de Olinda, em 1539”, afirma. O hospital funcionava em quatro imóveis, no lugar hoje ocupado pela Academia Santa Gertrudes, na Sé, Sítio Histórico da cidade.



A Santa Casa de Misericórdia de Olinda foi extinta em 1859, por má gestão, e logo em seguida é inaugurada a do Recife que, inicialmente, tinha sede no bairro de Santo Antônio, no Centro. Nos anos 40 do século 20, com a abertura da Avenida Guararapes, a entidade é transferida para o Hospital Pedro II, nos Coelhos, também na área central. A mudança para Santo Amaro é feita nos anos 80. “Parte da documentação de Olinda ainda existe e está com a gente”, informa Édson Barros.

Diferentemente de outros Estados brasileiros, a Santa Casa de Misericórdia do Recife não atua apenas no setor de medicina. Além de administrar hospitais, também gerencia educandários e presta assistência social, nos municípios do Recife, Olinda, Palmares e Jaqueira. Atualmente, são vinculados à instituição quatro educandários, o Instituto dos Cegos e dois lares geriátricos.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM