Jornal do Commercio
MOTOCICLISTAS

Como evitar acidentes com cerol

Duas pessoas já morreram este ano vítimas de linhas de pipa com efeito cortante

Publicado em 30/04/2015, às 13h15

Antena corta-pipa evita ferimentos no pescoço do motociclista e custa a partir de R$ 5 / Fernando da Hora/JC Imagem
Antena corta-pipa evita ferimentos no pescoço do motociclista e custa a partir de R$ 5
Fernando da Hora/JC Imagem
Da editoria de Veículos

Uma brincadeira de criança tem deixado motociclistas apavorados. Somente este mês, a polícia registrou pelo menos três acidentes graves com motociclistas no Grande Recife vitimados por linha com cerol, que é a mistura de cola e vidro moído usada para cortar a linha de outras pipas. A substância se torna uma arma contra o motociclista quando a linha fica atravessada na rua. O piloto pode esbarrar no fio cortante e sofrer graves ferimentos,principalmente, na região do peito e pescoço. O problema é antigo. E, apesar de proibido o seu uso, persiste. O que muitos sabem e ignoram é que um equipamento vendido em lojas de acessórios de motos poderia evitar boa parte desses casos. A antena corta-pipa é um dispositivo vendido a partir de R$ 5.

O médico João Veiga, coordenador do Comitê de Prevenção aos Acidentes com Motos em Pernambuco, explica que a linha com cerol pode atingir partes vitais como veias e artérias. “Todo esse sistema circulatório está ligado ao cérebro por isso o acidentado – quando não morre por hemorragia – tem muita possibilidade de ficar com sequelas neurológicas como perda da fala ou paralisia facial”, afirma o médico.João Veiga diz que todo motociclista deveria lembrar que a pipa faz parte da cultura de Pernambuco e que o uso do cerol é algo comum sobretudo nos bairros de periferia. Daí o motociclista deveria adotar medidas para escapar do problema. Na opinião dele, o capacete e a antena corta-pipa deveriam ser itens obrigatórios de quem pilota. Ele lembra que existe uma versão industrializada da linha bem perigosa. A linha chilena, que recebe mistura de cola e pó de quartzo com óxido de alumínio, tem o mesmo efeito do cerol.



A proteção para esse tipo de risco é barata e fácil de encontrar. A antena corta-pipa, vendida em lojas de acessórios para motos, custa entre R$ 5 e R$ 60, dependendo do modelo. As mais baratas são feitas de aço e ficam fixas. Os modelos mais caros são fabricados em alumínio e são do tipo retrátil, ou seja, podem ser embutidas quando não estão em uso. A mais vendida custa cerca de R$ 25 é do tipo retrátil. Trata-se de uma antena semelhante às antigas antenas de rádio. Elas são instaladas à frente do guidão da moto e tem a função de segurar e partir a linha de cerol que esteja atravessada na via antes que ela atinja o pescoço do motociclista.
Eduardo Bessa, gerente da loja de acessórios Moto Cruz, alerta ainda para o fato de que o equipamento não é obrigatório para motos particulares. “Muita gente não instala porque acha que a moto vai ficar feia, parecendo moto de trabalho, e deixam a segurança em segundo plano porque estão se arriscando”, completa.

Desde 2001 Pernambuco tem uma lei que proíbe o uso do cerol em todo o Estado. A legislação prevê multa e punição de pais ou responsáveis por menores de idade que estejam fazendo uso do cerol. Em caso de acidentes provocados pelo uso da linha com efeito cortante os responsáveis responderão criminalmente.Em Pernambuco, a fiscalização fica por conta das da Secretaria de Defesa Social, através das polícias Civil e Militar.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM