Jornal do Commercio
denúncia

Ocupação irregular na orla de Olinda

Cadeiras e mesas de bares tomam conta do espaço

Publicado em 10/02/2016, às 12h01

Acesso fica restrito a clientes / Evaldo Blera/via comuniQ
Acesso fica restrito a clientes
Evaldo Blera/via comuniQ
Evaldo Blera

Na orla de Olinda, os donos de bares e restaurantes se acham no direito de ocupar o espaço de domínio público. Ocupam os espigões e expulsam as pessoas que ali se encontram.



Palavras-chave


Comentários

Por Lino Santos,12/04/2016

É preciso uma ação urgente da Polícia contra esse pichadores, ninguém aguenta mais esse vandalismo, suja nossa cidade e ninguém faz nada.

Por Lino Santos,12/04/2016

Na rua Ema em Ouro Preto não tem água, os moradores estão apavorados e pede socorro a COMPESA.

Por Sílvio,11/02/2016

Prefeito e vereadores tenham respeito à população de Olinda e aos visitantes. Coloquem em valor de multa alto por cada mesa instaladas nestes locais públicos.

Por Armando Mesquita Filho,11/02/2016

Não podemos esperar outra coisa de um prefeito ausente e se tratando de quem ele é irmão. Os banheiros construídos ao longo da orla, é para uso de barraqueiros ou seja, só tem acesso quem estiver usando as referidas barracas, o cidadão não pode utilizar. E uma administração muita safada.

Por Ricardo,11/02/2016

Se existisse prefeito ou ordem em Olinda, não teria problema se isso fosse regulamentado e quem ocupa espaço público pagasse pela locação. Faz anos que estão ocupando os diques e prefeitura nem dá satisfação do que ta havendo. Tem vereador pra fiscalizar? Parece que não.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM