Jornal do Commercio
Votação

Câmara vota nesta quinta impeachment do prefeito de Camaragibe

A sessão está marcada para acontecer às 9h e será aberta ao público

Publicado em 22/05/2019, às 09h34

Para que o mandato de Meira seja cassado, é preciso nove votos dos vereadores  / Foto: Divulgação
Para que o mandato de Meira seja cassado, é preciso nove votos dos vereadores
Foto: Divulgação
Da Editoria de Política

Atualizada às 13h39

Após meses de polêmicas e votações, ficou marcado para esta quinta-feira (23), a votação do impeachment do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), no Plenário da Câmara dos Vereadores do município. A sessão está marcada para acontecer às 9h e será aberta ao público.

A comissão, que apresentou a decisão favorável no último dia 16, ficou formada pelos vereadores Roberto da Loteria (PTC) e Leandro Lima (PRP), conhecido por Léo da Família. Com a aprovação, a vice-prefeita Nadegi Queiroz (PSDC) será convocada para tomar posse como prefeita de Camaragibe. Se a maioria qualificada não for atingida, o processo de Demóstenes Meira será arquivado e ele seguirá como gestor da cidade. 

Segundo o Blog de Jamildo, para tentar barrar a votação dos vereadores, Meira entrou com um mandado de segurança nesta quarta-feira (22) contra o pedido de impeachment. Entretanto, a Justiça não decidiu ainda se acata ou não o pedido de liminar solicitado pelo político.

A iniciativa de cassar o mandato do petebista ocorreu após um áudio vazado em que o gestor da cidade exigiu que os cargos comissionados participassem de um bloco carnavalesco em que sua noiva, a secretária de Assistência Social do município, Taty Dantas, foi uma das atrações.



A Câmara é formada por 13 parlamentares e para que o processo de impeachment seja aprovado, serão necessários dois terços dos votos, ou seja, o voto positivo de nove vereadores.

Relembre o caso

Realizado no dia 26 de fevereiro, a abertura do processo de impeachment de Meira deu início quando os cinco, dos 13 vereadores presentes, votaram a favor do processo. Ainda houve quatro votos de abstenção e quatro votos contra. Em meio à votação, três vereadores deixaram o local, e logo em seguida receberam vaias e xingamentos por parte do público presente.

Durante a leitura do processo de impeachment, o presidente da Casa, vereador Toninho (PTB), defendeu que é necessário a investigação das excessivas denúncias contra o gestor. "Estou aqui para essa Casa possa investigar, para que possa fazer o papel dela de investigadora. Essa Casa não pode deixar de dar uma resposta para a comunidade de Camaragibe. Eu espero que essa Casa dê uma resposta à altura. Não tenho medo de ameaça, não tenho medo de cara feia", afirmou o vereador.

A partir do início do processo, os 13 vereadores tiveram de oito a 60 dias para votarem pela cassação ou rejeição do pedido.


Recomendados para você




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM